Última hora

Última hora

Libertada jovem palestiniana que esbofeteou soldado israelita

Libertada jovem palestiniana que esbofeteou soldado israelita
Tamanho do texto Aa Aa

Envolta em lágrimas Ahed Tamimi, um ícone da resistência palestiniana, regressou a casa na Cisjordânia.

A jovem deixou este domingo a prisão de Hasharon, em Even Yehuda, no centro de Israel. Tinha sido condenada a uma pena de oito meses de cadeia por esbofetear um militar.

À saída abraçou-se à mãe, também detida, condenada, e agora em liberdade. Lembrou a morte de um familiar provocada pelas forças israelitas.

"A partir da casa do mártir Izzideen Tamimi sublinho: a resistência continua até terminar a ocupação. As mulheres prisioneiras são fortes. Agradeço a todos os que apoiaram o meu caso", disse Tamimi.

Em dezembro do ano passado, a jovem surgiu num vídeo a esbofetear um soldado israelita, ao lado de uma prima e da mãe. As imagens acabaram nas redes sociais e correram mundo.

A ativista - agora com 17 anos, tinha 16 quando foi detida - vive em Nabi Saleh, 20 quilómetros a nordeste de Ramallah, na Cisjordânia, território que está sob controlo militar israelita.

Para assinalar a libertação de Tamimi, na quarta-feira, um artista vindo de Itália pintou o rosto da jovem no muro construído por Israel em Belém. Motivo suficiente para a detenção por parte de soldados israelitas porque é proibido pintar na parede.