EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Preço do polvo galego dispara

Preço do polvo galego dispara
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A procura aumenta e a oferta quase que é três vezes menor num espaço de cinco anos. O polvo galego está caro e a tendência é para ficar ainda mais caro.

PUBLICIDADE

O polvo galego é cada vez mais raro nas águas espanholas e a procura da iguaria não pára de aumentar.

Nos últimos cinco anos, o preço médio duplicou enquanto a captura é agora três vezes inferior. Passou de duas mil toneladas para 600 toneladas. Nos mercados de peixe, por exemplo, em Pontevedra, não é novidade que o molusco com oito tentáculos se tornou num luxo .

"Está caro e creio que não vai descer . Acho que vai subir ainda mais. Isto porque se há menos captura, os preços vão disparar", diz Carmen Torres.

Os marinheiros acreditam que a escassez deste ano se deve ao facto das tempestades da época terem tardado a aparecer. No entanto, há uma tendência de menor abundância. Com a procura em alta, os mercados locais ressentem-se.

"Os consumidores no Japão, mas não só no Japão, especialmente nos Estados Unidos, descobriram novos sabores, incluindo o polvo. E isto ofereceu uma tendência bastante positiva para os fornecedores que assim puderam aumentar os preços nos mercados. Claro que o efeito negativo é que os mercados tradicionais como o espanhol vão ter que pagar mais pelo seu polvo. Isto em especial porque o preço depende da captura local e em especial das importações, sobretudo da Mauritânia, Marrocos e outros como México, explica Audun Lem, vice-diretor do departamento de Pescas e Aquacultura na Organização de Agricultura e Alimentação das Nações Unidas.

Portugal também passou a abastecer a Galiza. Na verdade, os marinheiros galegos reclamam uma correta identificação para que o seu produto não saia prejudicado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Saara Ocidental está fora do acordo de pescas UE-Marrocos