Última hora

Última hora

A mestria artesanal europeia na Homo Faber: aliando o tradicional ao moderno

Em leitura:

A mestria artesanal europeia na Homo Faber: aliando o tradicional ao moderno

A mestria artesanal europeia na Homo Faber: aliando o tradicional ao moderno
Tamanho do texto Aa Aa

A mestria artesanal europeia estará no centro das atenções na inspiradora exposição Homo Faber, a ter lugar em Veneza de 14 a 30 de setembro de 2018. Organizada pela fundação Michelangelo, o objectivo é divulgar o artesanato fino contemporâneo, tradicional e raro, e a sua ligação com o mundo da criatividade e do design.

A Euronews visitou uma oficina tradicional na Holanda para saber mais sobre a obra que criou para a exposição. A oficina da Heinen Delfts Blauw (a antiga Paauw 1651) é uma das poucas oficinas de artesanato na Holanda que ainda usam as técnicas tradicionais da porcelana azul de Delft, conhecida por Delft Blue.

Com origem no século XVII, esta antiga cerâmica holandesa foi originalmente inspirada pela porcelana chinesa, mas, eventualmente, a sua cor única tornou-se alvo de aclamação internacional.

A mestre artesã Wilma Plaisier continua a utilizar a dita técnica. Já de criança sonhava trabalhar com a porcelana azul de Delft. Começou a fazê-lo há 17 anos e hoje é uma das poucas artesãs nesta técnica tradicional.

"A tinta que usamos contém óxido de cobalto, que é preto na sua forma original mas a uma temperatura de cerca de 1200 graus Celsius muda de cor, tornando-se azul," explicou Wilma Plaisier.

O produto é totalmente artesanal e os desenhos são feitos exclusivamente em tons azuis, incorporando diferentes tonalidades da cor.

Para aliar o artesanato tradicional com o design moderno, a artista uniu-se ao conceituado holandês designer de produtos Marcel Wanders, com o objetivo de criar uma nova peça única para a exposição Homo Faber.

"Quando trabalhei com o Marcel nesta peça, ele esculpiu as diferentes partes do projeto à mão e eu tinha cada uma das peças individuais na minha mesa e cada uma era diferente. Ao ver as peças tive que pensar no melhor modo e onde acentuar o padrão central mais bonito da peça. Ou onde posso fazer a minha pintura fluír com as linhas e o motivo que ele criou ao moldar ou curvar o barro."

Conhecêmos o aclamado artista no seu estúdio em Amesterdão após a conclusão do projeto, que será exibido em setembro na exposição em Veneza. Conhecido pelo seu design audacioso, Marcel Wanders tem no palmarés vários projetos em porcelana azul de Delft.

"Quando trabalho com a porcelana azul de Delft utilizo um elemento mais primitivo ou bruto juntamente a elementos mais finos e delicados, que são muito leves e bonitos. Considero linda a síntese da energia bruta e energia refinada representada neste trabalho," disse á Euronews.

A resultante criação é uma "peça de um minuto" - um design exclusivo de Marcel Wanders, que formou à mão as partes da peça em apenas um minuto. Isso pode ser visto na justaposição entre a parte superior e a parte inferior da peça. Um estilo de pintura tradicional e uma forma escultural moderna foram usados na base, enquanto a parte superior foi criada usando um molde tradicional e pintura contemporânea.

"A porcelana azul de Delft para mim é extremamente importante porque é nacional. É como se fosse a minha equipa. São os meus tios, as minhas tias, todos os antepassados que fizeram este trabalho por centenas de anos. A minha mãe costumava ter uma peça e, claro, ninguém gostava. Eu gosto. É a minha cultura, uma herança cultural que eu posso abraçar," acrescentou.

Mais sobre focus