A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Super tufão Mangkhut no caminho das Filipinas

Super tufão Mangkhut no caminho das Filipinas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Tem um diâmetro de 900 quilómetros e associado à época das monções, tornou-se num super tufão. Milhares de pessoas começaram a ser retiradas do caminho do Mangkhut que se prepara para abater sobre o norte das Filipinas este sábado onde existem milhões de habitantes.

Esperam-se chuvas diluvianas e ventos que poderão rondar os 285 quilómetros por hora, como foi registado na quarta-feira. A preocupação maior é dar assistência aos deslocados.

"Estou com medo, porque disseram que é um tufão muito poderoso, mais forte do que as recentes chuvas das monções. É por isso que estamos com receio", diz uma mulher de bebé ao colo num abrigo.

Classificado de categoria cinco, o Mangkhut deverá atingir a ilha de Luzon na máxima força antes de se deslocar para a China onde deverá ter um impacto considerável sobre Macau e Hong Kong, se as previsões se mantiverem.

O Presidente das Filipinas não exclui a hipótese de pedir ajudar internacional. "Vai depender da severidade da crise. Se arrasar tudo talvez necessitemos alguma ajuda, se existirem países bem intencionados. Mas para já não precisamos, é ainda muito cedo para especular", disse Rodrigo Duterte há um dia, durante uma reunião de emergência.

No caminho do tufão encontram-se 10 milhões de pessoas e importantes campos de arroz e milho em época de colheitas naquele que já é considerado um mau ano agrícola.

Noutros anos, Furacões com intensidade semelhante provocaram milhares de vítimas e milhões de deslocados na Filipinas.