EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Membro das Pussy Riot perde fala, visão e andar

Membro das Pussy Riot perde fala, visão e andar
Direitos de autor Reuters
Direitos de autor Reuters
De  Ana Serapicos
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Grupo anti-Kremlin publicou no Twitter que acreditam que Pyotr Verzilov "foi envenenado"

PUBLICIDADE

Pyotr Verzilov, membro do grupo Pussy Riot, foi internado no hospital de Moscovo com suspeitas de envenenamento.

O ativista entrou na Unidade de Toxicologia e está agora nos cuidados intensivos, em estado crítico. Fontes afirmam que Verzilov perdeu a fala, o andar e a visão. As Pussy Riot acreditam que o ativista terá sido envenenado.

"O nosso amigo, irmão, camarada Petr Verzilov está em reanimação. Tem a vida em perigo. Achamos que foi envenenado."

Pyotr Verzilov tem 30 anos, é russo-canadiano e casado com Nadezhda Tolokonnikova, uma das ativistas das Pussy Riot.

As suspeitas de que teria sido envenenado surgiram imediatamente. Entretanto, o Meduza, um site de notícias independente russo, avançou que os médicos responsáveis pelo caso acreditam numa sobredosagem de alguma droga ou medicamento, sem especificar qual. 

Pyotr Verzilov é também o editor de uma agência de notícias focada em violações de direitos humanos por parte do sistema penal russo. Ficou mais conhecido depois de invadir o campo de futebol na final do Campeonato do Mundo da Rússia, este ano.

Verzilov, além de nacionalidade russa, tem também nacionalidade canadiana, o que levou Justin Trudeau a reagir à polémica.

O Primeiro-ministro do Canadá admitiu estar "preocupado", tendo em conta os contornos que o recente caso Skripal tomou. O governante acabou por admitir que "é muito cedo" para tirar conclusões.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ativista do grupo Pussy Riot internado por suspeita de envenenamento

Ativistas das Pussy Riot detidas à saída da prisão

Pussy Riot invadiram a final para protestar contra Putin