Última hora

Última hora

Presidente da FIFA garante: "Videoárbitro ajuda o futebol"

Em leitura:

Presidente da FIFA garante: "Videoárbitro ajuda o futebol"

Gianni Infantino na conferência de antevisão dos prémios FIFA
Tamanho do texto Aa Aa

O vídeo árbitro está para ficar nos torneios FIFA, a julgar pelas palavras do presidente do organismo durante a conferência de apresentação da cerimónia de entrega dos prémios de 2018, incluindo o de melhor jogadores do ano.

Gianni Infantino assumiu ter algumas dúvidas sobre a mais-valia do mecanismo, mas garante ter ficado convencido pelo resultado da utilização do VAR no Mundial da Rússia.

Numa semana marcada pela polémica expulsão de Cristiano Ronaldo na Liga dos Campeões e onde o VAR poderia ter alterado alguns dos lances mais controversos se a UEFA já o tivesse adotado também, Infantino garantiu que o VAR no veio "alterar o jogo."

"Tínhamos algum receio. Eu tinha algum receio acima de tudo que de alguma forma o VAR pudesse perturbar o jogo, mas não o fez. Aliás, até o deixou mais limpo e veio inclusive ajudar o jogo", afirmou o líder da FIFA.

Com a ajuda de Pierluigi Colina, atual presidente da Comissão de Arbitragem da FIFA, Infantino sublinhou ainda o facto de no Mundial não ter havido nenhuma expulsão por jogo violento.

"Não sei se o devemos agradecer ao VAR ou se de repente todos ficaram to bonzinhos, mas de certeza que os jogadores em campo e os treinadores sabiam que o que fizessem iria ter consequência. Por isso, de certeza que ajudou a limpar o jogo e ajudou os árbitros", acrescentou.

Gianni Infantino prometeu ainda trabalhar para desenvolver o futebol por todo o planeta porque deseja ver seleções de fora da Europa de novo a ganhar campeonatos do mundo.

Falando também em espanhol e francês, além do inglês, o dirigente disse que a FIFA precisa "da Ásia, da América Latina e de África". "

"Os últimos quatro campeões são todos da Europa. Precisamos do mundo todo no futebol e por isso temos de nos concentrar e focar em desenvolver o futebol por todo o planeta", disse o presidente da FIFA.

A cerimónia de entrega dos prémios FIFA vai distinguir os melhores jogadores, masculino e feminino, os melhores treinadores de futebol feminino e masculino, o melhor guarda-redes, o melhor golo, o melhor adepto e entregar o prémio "fair play" (desportivismo).

O mais aguardado ser certamente o "The Best". Os finalistas incluem o melhor futebolista do ano passado, o português Cristiano Ronaldo (Juventus); o melhor jogador na Europa deste ano, o croata Luka Modric (Real Madrid); e o melhor jogador africano deste ano, o egípcio Mohamed Salah (Liverpool).

A cerimónia realiza-se esta segunda-feira em Londres, tem apresentação do ator britânico Idris Elba e vai contar com a atuação do confesso adepto do Manchester City e fundador do grupo Oasis, Noel Gallagher, atualmente a liderar os High Flying Birds.