Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Visita controversa de Erdogan à Alemanha

Visita controversa de Erdogan à Alemanha
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Vários milhões de pessoas com raízes turcas vivem na Alemanha, o que criou vínculos fortes entre os dois países. Mas, nos últimos anos, as relações azedaram.

No dia 28 de setembro, Recep Tayyip Erdoğan visitará a Alemanha. Isso significa que o presidente turco está de volta às boas graças de Merkel? foi a questão que colocámos a Kristian Brakel, chefe da Fundação Heinrich Böll na Turquia.

“Há uma diferença entre a forma como ele (Erdogan) é visto e a importância das relações entre a Alemanha e a Turquia para o governo alemão. Este é um relacionamento que eles querem manter, independentemente da pessoa de Erdogan ", afirma.

Merkel provavelmente insistirá na libertação dos jornalistas e ativistas alemães presos na Turquia. O acordo de 2016 para limitar o fluxo de refugiados da Turquia para a UE também é extremamente importante para a chanceler alemã. Mas o que quer Erdogan?

Kristian Brakel considera: “Ele quer principalmente reconhecimento. E vai conseguir isso porque a Alemanha vai fazer um grande espetáculo para ele. É uma visita com honras de Estado, que não seria diplomaticamente necessário. Mas esse reconhecimento é, obviamente, muito importante para ele, e também no mercado interno. “

Mas com as sanções recentes dos EUA - que atingiram a lira turca - também pode haver mais algumas questões financeiras que Erdogan quer discutir: "Agora, que a Turquia está em um conflito financeiro com os EUA, precisa da Europa novamente e, especialmente, da Alemanha."

A visita é controversa na Alemanha. Muitos políticos da oposição e membros da comunidade curda defendem que não deve ser estendido o tapete vermelho a Erdogan. É o caso de Ali Ertan Toprak, responsável da Organização Curda na Alemanha: “O que a UE e a Alemanha estão a fazer com esta visita é a cortejar o autocrata Erdogan. E assim, estamos a apoiar sua política antidemocrática. E todos os democratas têm que mostrar o cartão vermelho a isso ”.

A visita do presidente turco provavelmente causará alguma tensão. Dentro da comunidade turca, entre a comunidade turca e a comunidade curda, e entre aqueles que defendem o envolvimento com a Turquia e aqueles que querem ter uma linha mais dura contra o presidente turco. Mas esse é um risco que Angela Merkel está claramente disposta a correr para reconstruir a relação turco-alemã e repôr uma certa normalidade, refere o repórte da Euronews, em Brelim, Jona Kallgren.