EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Brett Kavanaugh: "Nunca agredi sexualmente ninguém"

Brett Kavanaugh: "Nunca agredi sexualmente ninguém"
Direitos de autor 
De  Ana Serapicos
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Acusado de agressão sexual, o juiz nomeado por Donald Trump para o Supremo Tribunal dos EUA discursou esta quinta-feira no senado norte-americano

PUBLICIDADE

Num depoimento emocionado, Brett Kavanaugh garantiu, esta quinta-feira, na audição do Comité Judicial do Senado norte-americano, ser inocente. 

O juiz nomeado pelo presidente dos EUA, Donald Trump, para o Supremo Tribunal, garante que as acusações de agressão sexual de que está a ser alvo são um "golpe político calculado", e que não vai "desistir", mesmo que este "escândalo inventado" o faça perder nas votações.

Horas antes, Christine Ford, primeira mulher a acusar formalmente Kavanaugh, foi ouvida pelo senado. A professora universitária acusa o jurista de a agredir sexualmente em 1982, numa festa do ensino secundário. A psicóloga é uma das quatro mulheres que acusa Kavanaught de abusos sexuais.

No depoimento, Kavanaugh garantiu nunca ter agredido sexualmente ninguém.

"Nunca agredi sexualmente ninguém. Nem no secundário, nem na faculdade, nunca", disse. "A agressão sexual é uma coisa horrível. Uma das minhas melhores amigas é uma pessoa que foi abusada e que pediu o meu conselho", admitiu.

Sobre a acusação de Christine Ford, Kavanaugh garantiu que há confusão no agressor. "Não é quem eu sou. Juro diante da nação e de Deus que sou inocente dessa acusação", afirmou.

Durante o discurso, o jurado partilhou, de forma claramente emocionada, as consequências das acusações, tanto na vida profissional como na vida familiar. Kavanaugh contou que umas das filhas lhe disse que iria "rezar por Christine", a primeira mulher a denunciar alegados abusos sexuais de Kavanaugh.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Nova acusação sexual contra o juiz Brett Kavanaugh