Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Apartamentos minúsculos em Paris

Apartamentos minúsculos em Paris
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A especulação imobiliária em Paris faz com que seja muito difícil encontrar um apartamento adequado para arrendar.

A situação de desespero leva a que várias pessoas acabem por arrendar apartamentos minúsculos.

Exemplo disso é José, um homem de 71 anos que há 25 mora num pequeno apartamento com menos de um metro quadrado.

A Fundação Abbé Pierre denunciou a situação, em pleno centro da capital francesa.

"Estamos em frente deste edifício porque uma pessoa que veio ter connosco, mora em três metros quadrados e paga cerca de 300 euros de renda. Notámos que há 10 unidades entre 1 metro quadrado e 6 metros quadrados que foram arrendadas entre os 250 e os 450 euros por apartamento", afirma Christophe Robert, da Fundação Abbé Pierre.

Devido ao espaço diminuto, na casa de José, um antigo bibliotecário, é tudo meticulosamente organizado.

"Tudo está arrumado, tudo é disciplinado ao centímetro, para que não haja um grão de arroz que não tenha um lugar para poder viver", diz José.

De acordo com a autarquia de Paris, s são assinaladas cerca de cinco mil moradias insalubres, todos os anos.

As autoridades da capital gaulesa sublinham que o mercado imobiliário tem de cumprir a legislação.

O adjunto da autarquia do pelouro do alojamento, Ian Brossat, conta que "muitos inquilinos sentem que não têm direito a nada. A realidade é que o direito de propriedade não é o direito de arrendar apartamentos insalubres".

Em 1996, foi criada a "Lei Carrez" que regula que o cálculo da área de um imóvel só será tida em consideração se tiver mais de nove metros quadrados e mais de um metro e oitenta de altura.