Assassinato de jornalista búlgara choca instituições internacionais

Assassinato de jornalista búlgara choca instituições internacionais
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A jornalista búlgara Viktoria Marinova foi espancada e violada antes de ser estrangulada num parque em Ruse, cidade do Norte da Bulgária. As autoridades estão a investigar o crime, enquanto muitos ligam o sucedido à denúncia de um alegado caso de corrupção que envolveria fundos da União Europeia.

PUBLICIDADE

A jornalista búlgara Viktoria Marinova foi espancada e violada antes de ser estrangulada num parque em Ruse, cidade do Norte da Bulgária. As autoridades estão a investigar o crime, enquanto muitos ligam o sucedido à denúncia de um alegado caso de corrupção que envolveria fundos da União Europeia.

"Ela não era propriamente uma jornalista de investigação, mas ela noticiou este caso que era ignorado pelas televisões tradicionais, que são muito cuidadosas quando tratam de investigações de alto nível", afirmou o editor chefe do site de investigação bivol.org, Atanas Tchobanov.

"Trata-se de uma história sobre o roubo de fundos europeus, sobre o facto de projetos europeus terem sido manipulados por um grupo de empresas de consultadoria relacionadas com uma grande empresa de construção, que por sua vez está ligada ao presidente da Lukoil na Bulgária e a oligarcas russos", explicou Tchobanov.

A Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa já se mostrou chocada com a morte da jornalista que denunciou o alegado caso de corrupção numa televisão local.

Os Repórteres sem Fronteiras já lamentaram a morte selvagem de Viktoria Marinova e pediram às autoridades para protegerem os colegas da jornalista. Apelam também a que haja uma investigação séria e profunda.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Breves de Bruxelas: Filósofo A.C. Grayling fala sobre o Brexit

Europol identificou as 821 redes criminosas mais perigosas da Europa

Detidos suspeitos de morte de menina de dois anos