EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Libertação de pastor evangélico acalma tensões

Libertação de pastor evangélico acalma tensões
Direitos de autor 
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente dos EUA afirmou que a libertação do pastor evangélico Andrew Brunson é um passo positivo para a melhoria das relações entre Washington e Ancara.

PUBLICIDADE

O presidente dos EUA afirmou, este sábado, que a libertação do pastor evangélico Andrew Brunson é um passo positivo no sentido da melhoria das relações entre Washington e Ancara. Declarações feitas na Casa Branca no momento em que Donald Trump recebeu Brunson. O chefe de Estado norte-americano voltou a agradecer ao presidente turco a libertação do pastor:

"Esta também não é uma situação fácil para a Turquia, estão a passar por situações difíceis e quero agradecer ao presidente Erdogan por tornar isto possível", afirmou Trump que, através da sua conta de Twitter garantiu que não fez nenhum acordo com a Turquia.

Andrew Brunson, que dirigia uma pequena igreja protestante em Izmir, tinha sido condenado, por um tribunal da referida região, a três anos e um mês de prisão por apoiar "organizações terroristas", os separatistas do Partido dos Trabalhadores do Curdistão, e Fethullah Gülen, acusado por Ancara de orquestrar o golpe fracassado de 2016. Já tinha cumprido mais de metade da pena.

A crise diplomática, alimentada por este caso, ganhou peso quando Washington decidiu impor sanções a Ancara que abalaram, dramaticamente, a moeda turca.

O chefe da diplomacia norte-americana, Mike Pompeo, aproveitou para pedir a Ancara que "liberte rapidamente" outros norte-americanos ainda detidos na Turquia, bem como diplomatas locais dos EUA.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Brunson regressa aos Estados Unidos

Caso Brunson faz aumentar a tensão entre Washington e Ancara

Primeiro dia de julgamento do pastor americano Andrew Brunson