EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

11 milhões de crianças em risco no Iémen

11 milhões de crianças em risco no Iémen
Direitos de autor 
De  Luis Guita
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Pelo menos uma criança morre a cada 10 minutos devido à falta de comida e a doenças preveníveis. 400.000 crianças menores de cinco anos precisam urgentemente de assistência alimentar para poderem sobreviver.

PUBLICIDADE

Os civis, e em particular as crianças, são as grandes vítimas da guerra no Iémen que dura há mais de três anos. Mais de 11 milhões de crianças estão em risco, de acordo com a UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância).

Pelo menos uma criança morre a cada 10 minutos devido à falta de comida e a doenças preveníveis.

400.000 crianças menores de cinco anos sofrem de subnutrição aguda grave e precisam urgentemente de assistência alimentar para poderem sobreviver.

"Com a subnutrição gravíssima que encontrei aqui, eles apresentam sintomas de sépsis e com maior probabilidade de morrerem. Estes pacientes são mais propensos a morrer. Ela (uma criança que está ao seu lado) tem 10,1 kg. Ela devia ter 15 kgs," afirma a médica no Hospital de Aden, Dra. Aida Hussein.

O Iémen é um dos lugares mais perigosos do mundo para se ser criança atualmente. Uma criança no Iémen já sobreviveu a mais de 18.000 ataques aéreos na sua vida. A brutalidade constante significa que as crianças estão a ser constantemente expostas a uma violência extrema, aumentando de forma assustadora o risco de danos psicológicos.

“Eu desejo que a guerra pare para que eu possa continuar a aprender e construir a minha vida, alcançar os meus sonhos. Apelo à ajuda de todas as organizações dos direitos humanos para impedirem o assassinato de crianças, mulheres e homens," revela Khaled, uma criança que sobreviveu a um ataque com bomba.

No terreno, continuam os conflitos entre uma coligação de países sunitas muçulmanos, liderada pela Arábia Saudita e pelos Emirados Árabes Unidos, e apoiada pelos Estados Unidos, contra os rebeldes houthis, que têm ligações ao Irão.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Novo relatório alerta para a possibilidade de fome generalizada no norte da Faixa de Gaza

Palestinianos fazem fila para comprar pão numa padaria na cidade de Gaza

Cerca de 5 milhões em situação de insegurança alimentar no Haiti devido a violência