Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

11 milhões de crianças em risco no Iémen

11 milhões de crianças em risco no Iémen
Tamanho do texto Aa Aa

Os civis, e em particular as crianças, são as grandes vítimas da guerra no Iémen que dura há mais de três anos. Mais de 11 milhões de crianças estão em risco, de acordo com a UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância).

Pelo menos uma criança morre a cada 10 minutos devido à falta de comida e a doenças preveníveis.

400.000 crianças menores de cinco anos sofrem de subnutrição aguda grave e precisam urgentemente de assistência alimentar para poderem sobreviver.

"Com a subnutrição gravíssima que encontrei aqui, eles apresentam sintomas de sépsis e com maior probabilidade de morrerem. Estes pacientes são mais propensos a morrer. Ela (uma criança que está ao seu lado) tem 10,1 kg. Ela devia ter 15 kgs," afirma a médica no Hospital de Aden, Dra. Aida Hussein.

O Iémen é um dos lugares mais perigosos do mundo para se ser criança atualmente. Uma criança no Iémen já sobreviveu a mais de 18.000 ataques aéreos na sua vida. A brutalidade constante significa que as crianças estão a ser constantemente expostas a uma violência extrema, aumentando de forma assustadora o risco de danos psicológicos.

“Eu desejo que a guerra pare para que eu possa continuar a aprender e construir a minha vida, alcançar os meus sonhos. Apelo à ajuda de todas as organizações dos direitos humanos para impedirem o assassinato de crianças, mulheres e homens," revela Khaled, uma criança que sobreviveu a um ataque com bomba.

No terreno, continuam os conflitos entre uma coligação de países sunitas muçulmanos, liderada pela Arábia Saudita e pelos Emirados Árabes Unidos, e apoiada pelos Estados Unidos, contra os rebeldes houthis, que têm ligações ao Irão.