Última hora

Última hora

"Metamorfose de Picasso"

Em leitura:

"Metamorfose de Picasso"

"Metamorfose de Picasso"
Tamanho do texto Aa Aa

Obras de arte antigas e modernas convivem lado a lado numa exposição que celebra a influência do mito e da antiguidade nas obras de Pablo Picasso, o pintor espanhol, mestre do cubismo.

Representações do amor, Minotauros e estátuas gregas de pessoas adormecidas, constituem a a exposição "Metamorfose de Picasso" no Palazzo Reale de Milão, em Itália.

"A ideia não é dizer que Picasso copiou alguém, não, em absoluto. Há algumas analogias visuais com obras arqueológicas antigas. O que é excecional aqui é que há tantas peças excecionais de Picasso quanto peças antigas que vêm do Louvre, que vêm de Nápoles, lugares que Picasso frequentou intensamente, que conheceu e que influenciaram a sua imaginação e a sua estética. Esta exposição é sobre isso, sobre como essas peças tiveram um papel importante na carreira deste artista que revolucionou a arte no século XX", refere a curadora Pascale Picard.

A exposição é dividida em seis secções sendo a mais representativa dedicada à mulher e ao amor.

A mostra é composta por duas centenas de peças que incluem esculturas de entre 500 a 1000 anos antes de Cristo, e obras de Pablo Picasso.

"Metamorfose de Picasso" abriu ao público no dia 18 de outubro e pode ser visitada até ao dia 17 de fevereiro de 2019, no Palazzo Reale, em Milão.

Mais sobre Cult