Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

"Metamorfose de Picasso"

"Metamorfose de Picasso"
Tamanho do texto Aa Aa

Obras de arte antigas e modernas convivem lado a lado numa exposição que celebra a influência do mito e da antiguidade nas obras de Pablo Picasso, o pintor espanhol, mestre do cubismo.

Representações do amor, Minotauros e estátuas gregas de pessoas adormecidas, constituem a a exposição "Metamorfose de Picasso" no Palazzo Reale de Milão, em Itália.

"A ideia não é dizer que Picasso copiou alguém, não, em absoluto. Há algumas analogias visuais com obras arqueológicas antigas. O que é excecional aqui é que há tantas peças excecionais de Picasso quanto peças antigas que vêm do Louvre, que vêm de Nápoles, lugares que Picasso frequentou intensamente, que conheceu e que influenciaram a sua imaginação e a sua estética. Esta exposição é sobre isso, sobre como essas peças tiveram um papel importante na carreira deste artista que revolucionou a arte no século XX", refere a curadora Pascale Picard.

A exposição é dividida em seis secções sendo a mais representativa dedicada à mulher e ao amor.

A mostra é composta por duas centenas de peças que incluem esculturas de entre 500 a 1000 anos antes de Cristo, e obras de Pablo Picasso.

"Metamorfose de Picasso" abriu ao público no dia 18 de outubro e pode ser visitada até ao dia 17 de fevereiro de 2019, no Palazzo Reale, em Milão.