Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

França e Itália em "jogo do empurra" sobre migração ilegal

França e Itália em "jogo do empurra" sobre migração ilegal
Tamanho do texto Aa Aa

A expulsão de migrantes de França para Itália, por parte da polícia francesa, está na base do mais recente braço-de-ferro entre os governos dos dois países. O recém-empossado ministro francês do Interior, Christophe Castaner, prometeu para breve um encontro com o colega italiano Matteo Salvini.

Salvini, líder do partido Liga, com uma postura anti-imigração conhecida, acusa os países vizinhos, sobretudo a França, de estarem a deixar a Itália sozinha a gerir a chegada em massa de migrantes, vindos sobretudo de África. Estima-se que o número seja de 700 mil, desde 2013.

Recentemente, o ministro publicou no Facebook um vídeo que mostra polícias franceses a entrar ilegalmente em território italiano para lá deixar um grupo de migrantes.

++ POLIZIA FRANCESE SU SUOLO ITALIANO: GUARDA COSA FA... ++

? VIDEO INCREDIBILE! FACCIAMO GIRARE ALMENO IN RETE! Girato questa mattina a Claviere, sul confine Italia-Francia. Anche questa auto della polizia francese aveva sbagliato strada??? Macron, rispondi!

Publiée par Matteo Salvini sur Vendredi 19 octobre 2018
O vídeo, publicado na página oficial de Salvini, mostra polícias franceses em território italiano.

A recondução de migrantes ilegais à fronteira com a Itália é uma prática corrente para as autoridades francesas, mas não há acordos bilaterais que permitam à polícia de França entrar em Itália. Castaner promete continuar com estas expulsões, enquanto Salvini promete manter patrulhas policiais nas fronteiras, para evitar estas devoluções. A solução para o braço-de-ferro pode estar no encontro entre os dois homens, que ainda não tem data nem local marcado.

Castaner diz que pretende continuar uma política de firmeza face à imigração ilegal e que não quer juntar polémicas à polémica. Sobre Salvini, diz que "os diferendos se resolvem com cooperação e não oposição", sem entrar em detalhes sobre que tipo de acordo pode haver.

Segundo os acordos de Dublin, os migrantes que entram na União Europeia devem permanecer no primeiro Estado-membro em que entraram e é aí que podem pedir asilo, mas a França é o destino sonhado para muitos, se não a maioria, dos que chegam aos portos italianos.