Última hora

Última hora

Eleições2018: Jair Bolsonaro e o novo Congresso brasileiro

Em leitura:

Eleições2018: Jair Bolsonaro e o novo Congresso brasileiro

Apoiantes de Jair Bolsonaro festejam êxito do PSL
@ Copyright :
REUTERS/Nacho Doce
Tamanho do texto Aa Aa

O Congresso vai exigir esforço redobrado ao novo Presidente do Brasil. Jair Messias Bolsonaro vai encontrar a câmara dos deputados e um senado muito mais plural do que a atual.

Segundo os resultados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na câmara, o número de partidos com deputados eleitos passou de 25 para 30 a partir de 2019.

Com 56 parlamentares, o Partido dos Trabalhadores (PT) vai ter a maioria na câmara. O segundo mais representado é o partido Social Liberal (PSL), do presidente eleito Jair Bolsonaro, que passou de 8 para 52 cadeiras.

O Partido Da Social Democracia Brasileira (PSDB) e o Movimento Democrático Brasileiro (MDB), da linha mais tradicional da política brasileira, foram os que mais perderam representantes, passando, respetivamente, de 49 para 29 e de 51 para 33 deputados.

No Senado, o número de partidos com representação parlamentar passou de 16 para 21, com a eleição de novos senadores pelo PSL, Partido Republicano da Ordem Social (PROS), Solidariedade, Partido Republicano Progressista (PRP) e o Partido Humanista da Solidariedade (PHS).

A maior bancada do Senado vai continuar a ser a do MDB, embora o número de representantes do partido de Temer tenha tido uma redução significativa. Até ao final desta legislatura, o MDB tem 18 assentos e depois desce para os 11 senadores.

De uma forma geral, Jair Bolsonaro e o respetivo executivo vão precisar de fôlego e de uma excelente articulação política porque, num primeiro momento, não terão a maioria no Congresso.

Vão ser quatro anos de um novo ciclo político com o PSL sendo o quinto partido a governar o País, desde a redemocratiza`´Ção. Antes, PMDB, PT, PSDB, e PRN lideraram a nação "verde e amarela".