Última hora

Última hora

Governo britânico reforça orçamento para preparar "Brexit"

Em leitura:

Governo britânico reforça orçamento para preparar "Brexit"

Governo britânico reforça orçamento para preparar "Brexit"
Tamanho do texto Aa Aa

O Governo britânico vai gastar mais de dois mil milhões de euros, no próximo ano, para preparar a saída do Reino Unido da União Europeia.

Perante a Câmara dos Comuns, o ministro da Finanças reviu em alta o crescimento económico do país para os próximos anos e prometeu que o orçamento para 2019, o último no contexto do bloco europeu, vai por fim à austeridade pois o trabalho árduo dos britânicos está a valer a pena.

Philip Hammond anunciou várias medidas e um novo imposto de 2% sobre as receitas das empresas tecnológicas: "Vamos introduzir um imposto sobre os serviços digitais no Reino Unido. Este será um imposto sobre as receitas geradas no Reino Unido de plataformas digitais específicas de modelos de negócios. Será projetado, cuidadosamente, para garantir que sejam os gigantes tecnológicos, ao invés das nossas startups de tecnologia, a suportarem o ónus dessa nova taxa. O imposto sobre serviços digitais só será pago por empresas que sejam lucrativas e que gerem, pelo menos, 500 milhões de libras por ano em receita global nas linhas de negócios em escopo", declarou.

O ministro acredita que haverá um acordo para o "brexit" e que a incerteza sobre a economia vai terminar, permitindo libertar recursos que mantém como contingência. Hammond assegura que o Governo tem margem de manobra para intervir, em qualquer eventualidade.

"Estamos no momento crucial das nossas negociações com a União Europeia, e os riscos não podiam ser maiores. A ser bem feito, não protegeríamos apenas os empregos, os negócios e a prosperidade da Grã-Bretanha, mas também colheríamos um duplo dividendo. Se as perspetivas económicas ou fiscais mudarem significativamente, tomarei as medidas necessárias, incluindo transformar a revisão orçamental da primavera num orçamento", disse Hammond.

Entre as medidas apresentadas para o próximo ano estão o reforço de 23 mil milhões de euros da verba para o Serviço Nacional de Saúde e o lançamento de uma moeda comemorativa do "brexit", que entra em circulação no dia 29 de março.