Última hora

Última hora

"Pai da web" apresenta acordo para melhorá-la

Em leitura:

"Pai da web" apresenta acordo para melhorá-la

"Pai da web" apresenta acordo para melhorá-la
Tamanho do texto Aa Aa

O inventor da World Wide Web, Tim Berners-Lee, quer um "Acordo para a Internet" entre governos, empresas e cidadãos com o objetivo de proteger uma internet livre e aberta a todos. O plano, elaborado em conjunto com a World Wide Web Foundation, foi apresentado na sua intervenção na cerimónia de abertura da Web Summit, em Lisboa.

O acordo faz parte de uma campanha global para defender uma internet livre, segura, e aberta para todos e será publicado em maio de 2019, o “momento 50/50”. É nesta altura que se espera que mais de metade da população mundial esteja em linha.

O documento de Berners-Lee sublinha que, nos dias de hoje, a internet criou desafios que exigem o compromisso de vários atores, desde empresas tecnológicas e legisladores aos milhares de milhões utilizadores da internet. O Acordo mereceu, já, o apoio de várias personalidades e instituições de todo o mundo como a Google, o Facebook, a MainOne, a Cloudfare, a AccessNow, a Consumers International, o Governo de França ou o antigo primeiro-ministro do Reino Unido Gordon Brown.

Princípios que regem o “Acordo para a internet”

OS GOVERNOS DEVEM...

  1. garantir que todos têm acesso à internet, independentemente da sua identidade ou do local onde vivem;
  2. manter a internet sempre acessível, não a negando a ninguém;
  3. respeitar o direito dos cidadãos à privacidade, de modo a que estas a possam usar livremente e de forma segura.

AS EMPRESAS DEVEM...

  1. tornar a internet economicamente e tecnologicamente acessível a todos;
  2. respeitar a privacidade e dados pessoais dos utilizadores;
  3. desenvolver tecnologias que apoiem o que a humanidade faz melhor de modo a eclipsar ou minorar o pior.

OS UTILIZADORES DEVEM...

  1. ser criadores e colaboradores da internet;
  2. construir comunidades fortes que respeitem o discurso cívico e a dignidade humana;
  3. lutar pela internet livre e acessível a todos.

A origem da WWW

A World Wide Web surgiu da necessidade de partilha de informação. Em 1989, Tim Berners-Lee, então funcionário do CERN - Organização Europeia para a Investigação Nuclear, na Suíça, deparou-se com os problemas que os cientistas, de todo o mundo, tinham para partilhar dados, pois utilizavam diferentes plataformas. Para resolver o problema, propôs a criação de uma base de dados com hiperligações.

Quase três décadas depois, essa base de dados transformou-se na World Wide Web como a conhecemos hoje.

Perante a audiência, em Lisboa, de 1200 pessoas, Berners-Lee recordou que "as pessoas acreditavam que isto levaria a uma humanidade melhor" e brinca: “temos a Wikipedia, temos blogues, temos gatos". Assim, o que poderia correr mal? "Bem, várias coisas correram mal. Problemas com a privacidade, a utilização de dados pessoais, pessoas a serem manipuladas manipuladas por comunidades falsas, pessoas falsas e ideias e notícias falsas. Portanto, há muitos problemas com a web", alertou.