Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Sérgio Moro nega que nomeação para ministro seja "recompensa"

Sérgio Moro nega que nomeação para ministro seja "recompensa"
Tamanho do texto Aa Aa

Combater a corrupção e o crime organizado. Sérgio Moro falou pela primeira vez desde que foi indicado para Ministro da Justiça de Jair Bolsonaro e traçou as linhas mestras do seu programa. O juiz prometeu dar continuidade ao trabalho efetuado no âmbito da operação "lava jato", que lançou o seu nome para as manchetes brasileiras e colocou o antigo presidente Lula da Silva atrás de grades... e fora da corrida às presidenciais.

Uma decisão que abriu caminho à vitória de Jair Bolsonaro, mas Sérgio Moro sublinha que a nomeação para o cargo não se tratou de uma "recompensa". Para o juiz, a condenação de Lula aconteceu quando Bolsonaro não passava de um deputado federal sem perspetivas de ser eleito presidente e deveu-se apenas aos crimes cometidos pelo antigo Chefe de Estado.

Sérgio Moro não teve problemas em admitir divergências com Bolsonaro, nomeadamente no que diz respeito à flexibilização do uso de armas, mas no final, mostrou que sabe bem quem manda:

"Não tenho a menor dúvida que a decisão final é do Presidente da República."