Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Coligação saudita ignora apelos para um cessar-fogo no Iémen

Coligação saudita ignora apelos para um cessar-fogo no Iémen
Tamanho do texto Aa Aa

A batalha pelo controlo do porto de Hodeida apresenta-se como decisiva para o Iémen. Os apelos da comunidade internacional a um cessar-fogo têm caído em saco roto e apesar da situação ter acalmado esta segunda-feira, nem por isso se está mais próximo de uma solução.

A coligação liderada pela Arábia Saudita garantiu que a operação para recuperar a cidade portuária aos insurgentes Houthi iria continuar, o que deixa uma nuvem negra sobre o futuro do país. É por aqui que entram no Iémen oitenta por cento dos alimentos e bens essenciais importados, e se a fome na região já é preocupante, pode assumir proporções catastróficas.

Para a ONU, é hora de dizer basta a um conflito que já provocou mais de dez mil mortos em quatro anos. De acordo com o Secretário-Geral esta é uma "guerra que ninguém ganha e que cria um desastre humanitário absolutamente inaceitável". O português "espera que os intervenientes diretos no conflito o possam compreender o mais rapidamente possível" até porque "se, por exemplo, em Hodeida, o porto for destruído teremos depois uma situação absolutamente catastrófica."

Guterres revelou ainda que as Nações Unidas estão a fornecer ajuda alimentar a oito milhões de iemenitas mas que esse número pode aumentar para os 14 milhões no próximo ano.