A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Cinco ministros apoiantes de Theresa May querem um "brexit" diferente

Cinco ministros apoiantes de Theresa May querem um "brexit" diferente
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Um grupo de cinco ministros no executivo de Theresa May está a tentar convencer a primeira-ministra britânica a alterar algumas partes do pré-acordo estabelecido com a União Europeia para o Brexit.

A notícia foi avançada pelo jornal Telegraph, no final de um dia marcado pelas nomeações de novos membros do governo, incluindo o regresso de Amber Rudd.

Num momento em que também se discute o futuro de Theresa May à frente do Partido Conservador e, por conseguinte, do Governo, a antiga ministra do Interior defende que"este não é o momento de mudar o líder".

"Este é, sim, o tempo de juntarmos forças e percebermos de uma vez quem estamos nós aqui a servir e quem está aqui para ajudar o país", afirmou Amber Rudd.

Um dos que se mantém ao lado de May é Michael Gove, um dos membros do governo apontados pelo Telegraph que ainda tentam melhorar o pré-acordo celebrado por May com o Bruxelas e que foi apresentado quarta-feira no parlamento britânico.

Para o ministro do Ambiente "é vital" melhorar o Brexit "nas áreas que mais interessam ao Reino Unido" e essa deve ser agora a prioridade, deixando subentendido que embora se mantenha ao lado da primeira-ministra, não está totalmente ao lado da proposta de May para o "brexit".

Além de Amber Rudd, que regressa como ministra do Trabalho e das Pensões, Stephen Barclay é outro dos novos nomes, tendo sido o escolhido para suceder a Dominic Raab como ministro para o "brexit".

A primeira-ministra tem estado sob forte pressão e poderá vir a enfrentar uma moção de censura do próprio partido, promovida pelo deputado Steve Baker.

O deputado conservador está a tentar organizar o voto de "rebelião" e basta 15 por cento da bancada parlamentar dos conservadores estar de acordo com Baker para o processo avançar contra a primeira-ministra britânica