Última hora

Última hora

Primeiro dia do Grande Prémio de Haia: medalhas para cinco países

Em leitura:

Primeiro dia do Grande Prémio de Haia: medalhas para cinco países

Primeiro dia do Grande Prémio de Haia: medalhas para cinco países
Tamanho do texto Aa Aa

No primeiro dia do Grande Prémio de Judo de Haia, as medalhas de ouro foram divididas por cinco países.

O judoca Vazha Margvelashvili, da Geórgia, revelou-se o homem do dia. Uma exibição dinâmica de judo para Ippon fez o atleta galopar dia fora até a final de -66Kg, com destaque para este impressionante golpe de pernas contra Denis Vieru, da Moldávia.

A aguardar na final estava o número cinco do mundo, Baruch Shmailov, para o primeiro combate entre os dois judocas que estavam em posições quase idênticas na classificação.

Depois de um combate renhido, foi Margvelashvili que prevaleceu, garantindo a sua terceira medalha de ouro no campeonato do mundo de judo de 2018.

"Foi a minha primeira luta contra Shmailov e ele é muito forte. Estou muito feliz por ter conseguido vencê-lo. Agora quero ganhar o Grand Slam de Osaka, porque é o meu sonho. E porque é muito difícil vencer, porque quando se luta no Japão, é de esperar encontrar quatro samurais que tornam a vitória difícil,” comentou Vazha Margvelashvili.

Nos -57kg femininos, Terumi Otsuji foi a mulher do dia. A atleta estava na posição 163 do ranking, mas mostrou que este é apenas um número e que tudo é possível, subindo ao centro do pódio no seu primeiro campeonato mundial de judo.

Na final, a judoca enfrentou a chinesa Tongjuan Lu. Um forte ataque de Koshi Guruma levou imediatamente ao arremesso de que Lu não pode escapar, devido ao excelente controlo e tenacidade de Terumi Otsuji, que lhe deram a vitória e o lugar mais alto do pódio.

Depois de uma exibição superlativa durante todo o dia, a judoca ficou visivelmente emocionada ao receber a sua medalha de ouro.

"A minha luta mais difícil foi contra a Priscilla Gneto da França, foi uma longa luta que depois foi para prolongamento, e lutámos muito tempo. Precisei de toda a minha resistência," disse.

Os fãs da Mongólia, foram hoje felizes para casa ao ver Amartuvshin Dashdaava, detentor de 21 medalhas no campeonato da Federação Internacional de Judo, acrescentar mais uma à sua coleção, desta vez nos -60kgs.

A belga Charline Van Snick fez uma demonstração sublime de técnicas newaza, arrebatando o título dos -52Kg na Holanda frente à brasileira Eleudis Valentim. Esta foi a sua 9ª medalha de ouro no campeonato do mundo de judo, que deu muita alegria ao público belga presente.

Maryna Cherniak, da Ucrânia, tornou-se campeã pela segunda vez num grande prémio na categoria de -48Kg com um fantástico ko-soto gake contra o chinês Yao Xiong .

O movimento do dia coube à holandesa Margriet Bergstra. A judoca dos -57Kg encantou o público com este tradicional e espetacular golpe Uchi mata na sua luta inaugural.

Os judocas portugueses Miguel Pisco e Maria Siderot foram eliminados, deixando a delegação portuguesa sem atletas em prova.

Miguel Pisco, na categoria de -60 kg, foi o primeiro a entrar em ação. O atleta de 21 anos e número 201.º do ranking mundial, perdeu por ippon com o holandês Bas Koffijsberg (145.º) já no ponto de ouro do combate.