Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Primeiro dia do Grande Prémio de Haia: medalhas para cinco países

Primeiro dia do Grande Prémio de Haia: medalhas para cinco países
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

No primeiro dia do Grande Prémio de Judo de Haia, as medalhas de ouro foram divididas por cinco países.

O judoca Vazha Margvelashvili, da Geórgia, revelou-se o homem do dia. Uma exibição dinâmica de judo para Ippon fez o atleta galopar dia fora até a final de -66Kg, com destaque para este impressionante golpe de pernas contra Denis Vieru, da Moldávia.

A aguardar na final estava o número cinco do mundo, Baruch Shmailov, para o primeiro combate entre os dois judocas que estavam em posições quase idênticas na classificação.

Depois de um combate renhido, foi Margvelashvili que prevaleceu, garantindo a sua terceira medalha de ouro no campeonato do mundo de judo de 2018.

"Foi a minha primeira luta contra Shmailov e ele é muito forte. Estou muito feliz por ter conseguido vencê-lo. Agora quero ganhar o Grand Slam de Osaka, porque é o meu sonho. E porque é muito difícil vencer, porque quando se luta no Japão, é de esperar encontrar quatro samurais que tornam a vitória difícil,” comentou Vazha Margvelashvili.

Nos -57kg femininos, Terumi Otsuji foi a mulher do dia. A atleta estava na posição 163 do ranking, mas mostrou que este é apenas um número e que tudo é possível, subindo ao centro do pódio no seu primeiro campeonato mundial de judo.

Na final, a judoca enfrentou a chinesa Tongjuan Lu. Um forte ataque de Koshi Guruma levou imediatamente ao arremesso de que Lu não pode escapar, devido ao excelente controlo e tenacidade de Terumi Otsuji, que lhe deram a vitória e o lugar mais alto do pódio.

Depois de uma exibição superlativa durante todo o dia, a judoca ficou visivelmente emocionada ao receber a sua medalha de ouro.

"A minha luta mais difícil foi contra a Priscilla Gneto da França, foi uma longa luta que depois foi para prolongamento, e lutámos muito tempo. Precisei de toda a minha resistência," disse.

Os fãs da Mongólia, foram hoje felizes para casa ao ver Amartuvshin Dashdaava, detentor de 21 medalhas no campeonato da Federação Internacional de Judo, acrescentar mais uma à sua coleção, desta vez nos -60kgs.

A belga Charline Van Snick fez uma demonstração sublime de técnicas newaza, arrebatando o título dos -52Kg na Holanda frente à brasileira Eleudis Valentim. Esta foi a sua 9ª medalha de ouro no campeonato do mundo de judo, que deu muita alegria ao público belga presente.

Maryna Cherniak, da Ucrânia, tornou-se campeã pela segunda vez num grande prémio na categoria de -48Kg com um fantástico ko-soto gake contra o chinês Yao Xiong .

O movimento do dia coube à holandesa Margriet Bergstra. A judoca dos -57Kg encantou o público com este tradicional e espetacular golpe Uchi mata na sua luta inaugural.

Os judocas portugueses Miguel Pisco e Maria Siderot foram eliminados, deixando a delegação portuguesa sem atletas em prova.

Miguel Pisco, na categoria de -60 kg, foi o primeiro a entrar em ação. O atleta de 21 anos e número 201.º do ranking mundial, perdeu por ippon com o holandês Bas Koffijsberg (145.º) já no ponto de ouro do combate.