Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Tijuana contra o caos da caravana de migrantes

Tijuana contra o caos da caravana de migrantes
Tamanho do texto Aa Aa

A chegada da primeira caravana de migrantes a cidade fronteiriça de Tijuana criou alguma tensão. Cerca de 3.000 pessoas, chegaram à fronteira entre o México e os EUA. Em resposta foi criado, através das redes sociais um movimento de cidadãos contra aquilo que consideram ser "o caos da caravana de migrante", que levou centenas de habitantes da cidade a concentrarem-se no centro de Tijuana, em protesto:

"O México foi sempre uma nação que abre as suas portas a qualquer pessoa que precise. Mas há maneiras de entrar na nossa casa, pedindo apoio e ajuda. Esta não é a maneira correta", frisa Rafael de Jesus Armas, residente de Tijuana.

Uma contra manifestação, de defesa dos migrantes, juntava algumas dezenas de pessoas, incluindo grupos LGBT, que acusavam de descriminação e xenofobia quem exigia o regresso destas pessoas aos seus países:

"São poucos os que criam problemas. Não podemos rotulá-los porque há pessoas boas na caravana de migrantes. Há crianças, mulheres. Nem todas são más", afirmava Yolanda Rocha, diretora do albergue "Las Mariposas".

As autoridades locais já pediram apoio federal para ajudar os migrantes durante o processo de pedido de asilo aos Estados Unidos, que pode levar meses. O governo mexicano acredita que 10 mil pessoas podem chegar à cidade.