Última hora

Última hora

Macedónia debate-se com o problema da poluição do ar

Macedónia debate-se com o problema da poluição do ar
Tamanho do texto Aa Aa

Por detrás do nevoeiro que recebe quem chega à Macedónia esconde-se Skopje, a capital. O país foi classificado pela Agência Europeia do Ambiente como o mais poluído do continente.

O trânsito caótico e o uso generalizado de meios mais baratos de aquecimento resultaram em concentrações de poluentes em níveis até dez vezes superiores aos permitidos.

Números do Instituto Nacional de Saúde Pública mostram que por ano a poluição atmosférica mata mais de 1200 pessoas.

Os pneumologistas alertam continuamente para o problema.

"O ar poluído de Skopje é um risco público e é a razão pela qual muitas pessoas visitam a nossa clínica. Também é um problema para as pessoas que sofrem de problemas respiratórios como doença pulmonar obstrutiva crónica, asma, enfisema porque causa uma exacerbação. Por isso muitas pessoas acabam no ambulatório ou hospitalizadas", lamenta o médico pneumologista Dejan Dokikj.

O Governo é cada vez mais pressionado com a situação.

O vice-ministro do Ambiente, Jani Makraduli, verifica diariamente os dados recolhidos sobre a qualidade do ar: "As principais dificuldades estão relacionadas com os sistemas de aquecimento no país. Em Skopje e particularmente entre as famílias com baixos rendimentos usa-se a madeira mas para aumentar a energia, infelizmente, usam plástico ou reutilizam óleo de motor."

O executivo estabeleceu a ambiciosa meta de melhorar a qualidade do ar em 50% em dois anos.

Borjan Jovanovski, Euronews - "A União Europeia está a trabalhar juntamente com o Governo para ajudar a combater a poluição do ar. No entanto, tendo em conta a situação socioeconómica do país, esta tarefa apresenta desafios significativos e será difícil de concretizar no futuro próximo."