Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Argentinos responsabilizam governo pelos distúrbios

Argentinos responsabilizam governo pelos distúrbios
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Na Argentina é já na sexta-feira que o país acolhe a cimeira do G20. A cimeira tem lugar depois da violência que marcou a segunda mão da final da Copa Libertadores no fim de semana. Nas ruas de Buenos Aires, muitos apontam o dedo ao governo.

"Não sinto que a Argentina esteja em situação de mostrar ao mundo que estamos bem porque não estamos, não estamos bem. E a culpa não é, como dizem, das consequências de um governo anterior. A culpa é dos procedimentos incorretos do atual governo, que é mau", afirma uma cidadã da capital.

Para outros contudo, o presidente Macri deveria demitir-se.

"O presidente tem que demitir-se porque o G20 dura um dia, no segundo dia vão-se todos embora. Isto está uma desgraça, as pessoas têm fome e ele quer fazer uma cimeira do G20 aqui? O que é que ele quer provar? Ele nem sequer conseguiu controlar um jogo de futebol..."

Para outros, o problema está ligado ao futebol e às somas astronómicas que movimenta. A segurança da cimeira do G20 é algo que não está em causa.

"O futebol polui tudo, é um negócio que proporciona grandes lucros mas está a causar danos profundos à sociedade, mas não acho que isso tenha influência sobre a segurança do G20, isso é outra coisa", afirma um outro cidadão de Buenos Aires.

O órgão representativo do futebol sul-americano Conmebol já anunciou que a segunda mão da final terá lugar a 8 ou 9 de dezembro acrescentando que não terá lugar no país.