Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Ativistas da Greenpeace ficam em prisão até julgamento

Ativistas da Greenpeace ficam em prisão até julgamento
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Greenpeace apela à solidariedade internacional contra a decisão de um tribunal da Eslováquia de manter 12 ambientalistas detidos até que ocorra o julgamento.

Estes 12 ativistas realizaram ações pacíficas para protestar e sua detenção contínua é uma vergonha.

Jennifer Morgan Diretora-executiva, Greenpeace International

Os ativistas, de cinco nacionalidades diferentes (Eslováquia, República Checa, Finlândia, Alemanha e Bélgica), foram presos, na semana passada, quando protestaram, pacificamente, junto a uma empresa de mineração de lignite eslovaca.

Os detidos incorrem em penas que podem ir até aos cinco anos de prisão.

“Estamos a enfrentar o maior desafiode sempre para a humanidade e as pessoas exigem ação. Os governos reunidos na COP24 (cimeira da ONU sobre alterações climáticas) devem agora, de uma vez por todas, apoiar as pessoas e agir. Estes 12 ativistas realizaram ações pacíficas para protestar contra o combustível fóssil mais sujo e sua detenção contínua é uma vergonha. Apelamos à Eslováquia para a sua libertação imediata", disse Jennifer Morgan, diretora executiva da Greenpeace International.

Ninguém ficou ferido durante o protesto, mas a empresa de mineração HBP disse que 342 mineiros no subsolo foram colocados em perigo, já que todas as operações foram interrompidas por várias horas.