Última hora
This content is not available in your region

Reino Unido dividido em vésperas de Brexit

euronews_icons_loading
Reino Unido dividido em vésperas de Brexit
Tamanho do texto Aa Aa

Antes da votação mais esperada no Reino Unido, Downing Street vive dias agitados. Nas vésperas de o Parlamento votar o acordo para o Brexit, a primeira-ministra Theresa May está longe de ter reunido o consenso político.

Em entrevista à BBC, o Ministro do Reino Unido para o Brexit, Stephen Barclay, disse que "o risco para aqueles que simplesmente dizem para voltar e perguntar de novo, é que não é necessariamente uma estrada de sentido único. Os franceses, os espanhóis e outros vão voltar-nos as costas se reabrirmos a negociação"

Mas, para muitos, a permanência da Irlanda do Norte na União Europeia é uma questão que ainda pode e deve ser revista. "Se a primeira-ministra puder voltar a Bruxelas esta semana e disser que teme que a solução encontrada para a Irlanda seja muito impopular, não apenas no país, mas também na Câmara dos Comuns, eles vão ouvir ", defendeu Boris Johnson, que já teve a pasta dos Negócios Estrangeiros.

O acordo alcançado com a União Europeia satisfaz poucas pessoas. Nas ruas, britânicos pró e contra o Brexit marcham lado a lado. Os manifestantes condenam Theresa May por manter a ligação à União Europeia, sem garantir a representatividade. Acusam o governo de estar a fingir que o país está à beira de um Brexit.

Entre a classe política e a sociedade, a corrente de um segundo referendo sobre o Brexit ganha força. Caroline Lucas, parlamentar do Partido Verde, afirmou durante um congresso contra o acordo que "a mensagem para Theresa May não poderia ser mais clara". Não querem "a sua visão de uma pequena Bretanha com fronteiras fechadas e horizontes limitados".

O divórcio entre o Reino Unido e a União Europeia está agora nas mãos dos parlamentares britânicos. A decisão vai ser tomada a 11 de dezembro mas, independentemente do resultado, parece não vir agradar a inguém.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.