A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Reino Unido dividido em vésperas de Brexit

Reino Unido dividido em vésperas de Brexit
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Antes da votação mais esperada no Reino Unido, Downing Street vive dias agitados. Nas vésperas de o Parlamento votar o acordo para o Brexit, a primeira-ministra Theresa May está longe de ter reunido o consenso político.

Em entrevista à BBC, o Ministro do Reino Unido para o Brexit, Stephen Barclay, disse que "o risco para aqueles que simplesmente dizem para voltar e perguntar de novo, é que não é necessariamente uma estrada de sentido único. Os franceses, os espanhóis e outros vão voltar-nos as costas se reabrirmos a negociação"

Mas, para muitos, a permanência da Irlanda do Norte na União Europeia é uma questão que ainda pode e deve ser revista. "Se a primeira-ministra puder voltar a Bruxelas esta semana e disser que teme que a solução encontrada para a Irlanda seja muito impopular, não apenas no país, mas também na Câmara dos Comuns, eles vão ouvir ", defendeu Boris Johnson, que já teve a pasta dos Negócios Estrangeiros.

O acordo alcançado com a União Europeia satisfaz poucas pessoas. Nas ruas, britânicos pró e contra o Brexit marcham lado a lado. Os manifestantes condenam Theresa May por manter a ligação à União Europeia, sem garantir a representatividade. Acusam o governo de estar a fingir que o país está à beira de um Brexit.

Entre a classe política e a sociedade, a corrente de um segundo referendo sobre o Brexit ganha força. Caroline Lucas, parlamentar do Partido Verde, afirmou durante um congresso contra o acordo que "a mensagem para Theresa May não poderia ser mais clara". Não querem "a sua visão de uma pequena Bretanha com fronteiras fechadas e horizontes limitados".

O divórcio entre o Reino Unido e a União Europeia está agora nas mãos dos parlamentares britânicos. A decisão vai ser tomada a 11 de dezembro mas, independentemente do resultado, parece não vir agradar a inguém.