Última hora
This content is not available in your region

Campinas consternada depois de banho de sangue na catedral

euronews_icons_loading
Campinas consternada depois de banho de sangue na catedral
Tamanho do texto Aa Aa

Em Campinas, no Estado de São Paulo, no Brasil, vive-se a consternação um dia depois do atentado que fez quatro mortos na catedral da cidade, durante a missa do meio-dia. A Polícia ainda está a investigar as motivações do homem que matou quatro pessoas e deixou outras tantas feridas, antes de se suicidar. Não tinha antecedentes criminais, mas tinha tido denúncias por perseguição e injúria e segundo as autoridades, seguiu um plano premeditado. Foi identificado como Euler Fernando Grandolpho, de 49anos, um analista de sistemas que chegou a trabalhar no ministério público.

O homem sentou-se num banco da igreja no início da missa e, por volta das 13 horas, levantou-se e começou a disparar indiscriminadamente sobre os fiéis presentes. Fez cerca de 20 disparos e suicidou-se com um tiro na cabeça, já depois da polícia ter intervindo e o ter alvejado.