Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Conservadores questionam liderança de May

Conservadores questionam liderança de May
Direitos de autor
REUTERS/Toby Melville
Tamanho do texto Aa Aa

Apesar de ver a sua liderança desafiada, por um grupo de conservadores, Theresa May mantém-se combativa no parlamento, numa tentativa de não perder o seu lugar.

Numa sessão, intensa, na Câmara dos Representantes, a primeira-ministra defendeu-se afirmando que esta moção de censura ameaça o Brexit.

"Precisamos garantir que não aumentamos nem criamos mais incerteza. As pessoas votaram pela saída da União Europeia, elas querem que garantamos um acordo que o faça e não devemos arriscar-nos a entregar o controlo das negociações do Brexit a deputados da oposição, no Parlamento, porque arriscar-nos-íamos a atrasar o Brexit, ou mesmo a pará-lo. Isso não seria do interesse nacional. Por isso, penso que precisamos seguir em frente e encontrar um bom Brexit para o país", afirmou a chefe do executivo britânico.

Para o líder da oposição, Jeremy Corbyn, os problemas no seio dos conservadores ameaçam mais o país do que o Brexit:

"O que quer que aconteça com a sua liderança conservadora, o voto de hoje é totalmente irrelevante para as vidas das pessoas em todo o nosso país. Não melhora a capacidade do governo de obter um acordo que funcione para todo o país. "Ela já foi acusada de desprezar o parlamento, será que agora vai fazer esse acordo perante o parlamento e conter essa crise crescente que é tão prejudicial para as vidas de tantas pessoas neste país?" - Pergunta o líder da oposição.

O destino de Theresa May está nas mãos dos seus pares mas, provavelmente, nada mudará. Foram apenas cerca de meia centena, dos mais de 300 deputados conservadores, que pediram a sua queda. A votação, que é secreta, termina às 20h, hora de Lisboa. Depois será preciso esperar a contagem dos votos.