Última hora

Última hora

Arrancou o julgamento do alegado terrorista Mehdi Nemmouche

Arrancou o julgamento do alegado terrorista Mehdi Nemmouche
Tamanho do texto Aa Aa

Começou esta quinta-feira, de manhã, em Bruxelas o julgamento do alegado terrorista francês Mehdi Nemmouche, o principal suspeito pelo assassinato de quatro pessoas há quase cinco anos no Museu Judaico da capital da Bélgica e da União Europeia.

Nemmouche, agora com 33 anos, deu entrada na sala do tribunal pelas 09:30 da manhã (menos uma hora em Lisboa), escoltado por dois polícias de cara tapada.

As únicas palavras proferidas pelo alegado terrorista, no arranque da sessão, foram para se recusar a identificar-se perante o coletivo de juízes.

À entrada para o tribunal, um dos advogados da equipa de defesa garantiu que Nemmouche estava "sereno e calmo". "Será ele a decidir o momento em que irá falar, por isso eu não tenho planeado fazer qualquer declaração de defesa", acrescentou Henri Laquay, perante os jornalistas.

No arranque dos trabalhos, a defesa considerou "inadmíssivel" o pedido de uma Associação francesa de Vítimas de Terrorismo para ser constituída como parte cível do processo e a sessão foi suspensa, adiando a leitura dos termos da acusação para o início da tarde.

O ataque terrorista cujo julgamento agora começa aconteceu a 24 de maio de 2014.

Um homem entrou com duas armas no Museu Judaico de Bruxelas e abriu fogo. Em menos de 10 minutos, fez quatro mortos: um casal de turistas israelitas, de 54 e 53 anos, e dois funcionários do museu, um segurança belga, de 25 anos, e uma voluntária francesa, de 66.

Uma semana depois do ataque em Bruxelas, Mehdi Nemmouche, um francês de origem argelina, foi detido em Marselha, sob suspeita de ter sido o atacante do museu.

Um dia depois, Nacer Bendrer foi também detido como alegado cúmplice no fornecimento das armas para o ataque, uma pistola Llama Scopio calibre 38 e uma espingarda automática Kalashnikov, ambas confiscadas no autocarro onde o acusado as terá abandonado à chegada a Marselha e que estão expostas na sala de audiências do julgamento em curso.

Nacer Bendrer também estará no edíficio onde decorre o julgamento e é esperada também a sua presença no banco dos réus, ao lado de Nemmouche.

Outro dos advogados da equipa de defesa de Nemmouche, Sébastien Courtoy, reviu entretanto o estado de espírito do suspeito, descrevendo-o como "não estando calmo nem seguro de si" mas garantindo que o acusado "está incocente": "E ele sabe que o vamos demonstrar."