Última hora

Última hora

Grécia: Nome da Macedónia leva à demissão de ministro da Defesa

Grécia: Nome da Macedónia leva à demissão de ministro da Defesa
Tamanho do texto Aa Aa

Na Grécia, o governo de coligação não resistiu ao acordo sobre o novo nome da Macedónia. Numa altura em que a proposta está a chegar ao parlamento, o ministro da Defesa, da formação nacionalista ANEL, apresentou a demissão.

Os independentistas não concordam com a solução encontrada e saiem do governo, deixando Alexis Tsipras numa situação delicada.

"Ele disse-me que se demitia do cargo de ministro da Defesa e que iria pedir a todos os outros membros do ANEL que façam o mesmo. Aceito a demissão do ministro da Defesa e de qualquer outro que apresente o pedido", afirmou o primeiro-ministro.

Com a retirada do ANEL, o governo perde o apoio dos sete deputados que o partido tem no parlamento e fica numa posição delicada.

Panos Kammenos afirmou à saída da reunião com Alexis Tsipras: "Agradeci ao primeiro-ministro a nossa cooperação e expliquei-lhe que, por causa desta questão nacional, a cooperação não pode continuar. O ANEL retira-se do governo".

Esta decisão pode comprometer a conclusão da legislatura. Tsipras pediu imediatamente uma moção de confiança ao governo.

A reporter da Euronews em Atenas, Nikoleta Drougha, refere: "O primeiro-ministro tornou muito claro que a decisão de pedir ao parlamento um voto de confiança é uma escolha política e não uma obrigação imposta pela constituição. Isso coloca-o numa situação política muito difícil: a de formar um governo nas próximas horas".

Na Grécia, a moção de confiança poder ser alcançada com os votos de metade dos deputados presentes na sessão - desde que sejam mais de 120. Tsipras, no entanto, diz que pede o voto de 151 deputados e, se não os conseguir, demite-se.

A legislatura termina em outubro. Se o governo cair, poderá haver eleições legislativas na Grécia ao mesmo tempo que as europeias.