Última hora

Última hora

Governo de Tsipras consegue voto de confiança no Parlamento

Primeiro-ministro grego e o respetivo executivo aplaudem voto de confiança
Primeiro-ministro grego e o respetivo executivo aplaudem voto de confiança -
Direitos de autor
REUTERS/Alkis Konstantinidis
Tamanho do texto Aa Aa

O Governo grego recebeu um voto de confiança do Parlamento grego dias depois o final da coligação que tinha viabilizado ao primeiro-ministro Alexis Tsipras a formação de um executivo.

Tsipras contou com 151 votos favoráveis, dos 300 possíveis, e viu assegurada a continuidade do mandato cujo prazo se extingue em outubro.

A moção tinha sido proposta a votação pelo próprio chefe de Governo depois de o até aqui ministro da Defesa, Panos Kammenos, o líder de um pequeno partido nacionalista de direita, o Gregos Independentes (Anel), ter decidido abandonar o executivo.

Caso não conseguisse a meta dos 151 deputados a favor, Tsipras admitiu convocar eleições antecipadas.

Em causa estava o acordo proposto com a Macedónia para a mudança de nome do país vizinho para Macedónia do Norte, em troca do levantamento do veto da Grécia à entrada desta pequena ex-república jugoslava na Aliança Atlântica e a encetar negociações para a adesão na União Europeia.

O acordo acaba com 28 anos de disputa entre ambos os países devido ao uso do nome Macedónia e que os gregos alegavam ter implicações sobre a província homónima helénica e a respetiva herança cultural.

No domingo, Kammenos abandonou o cargo de ministro de Defesa da Grécia e rompeu a coligação existente.

Na sexta-feira, os deputados do país vizinho aprovaram a mudança da designação oficial de Antiga República Jugoslava da Macedónia para República da Macedónia do Norte, passando agora a questão para o parlamento helénico, que deve pronunciar-se sobre o tema seguindo o que ficou estabelecido pelo acordo de Prespa estabelecido entre ambos os países a 17 de junho.

No sábado passado, o primeiro ministro macedónio congratulou-se pela decisão do respetivo Parlamento em alterar a Constituição para se adaptar ao acorde de Prespa.

"Com a decisão de emendar a Constituição do nosso país, começou a implementação do acordo de Prespa entre macedónios e gregos com vista à adesão da República da MAcedónia na NATO e na UE. Por este momento histórico, quero expressar a minha mais profunda gratidão a todos os deputados", afirmou Zoran Zaev, numa declaração replicada nas redes sociais.