Última hora

Última hora

UE intensifica preparativos para Brexit sem acordo

Michel Barnier no Parlamento Europeu
Michel Barnier no Parlamento Europeu
Tamanho do texto Aa Aa

O Reino Unido terá de rever as suas linhas vermelhas se quiser um novo acordo de saída com a União Europeia. A ideia ficou clara esta quarta-feira no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, depois de o acordo do Brexit alcançado ter sido rejeitado na Câmara dos Comuns, em Londres.

O negociador-chefe dos restantes 27 estados membros, Michel Barnier diz que "nunca o risco de um não acordo foi tão elevado. A nossa resolução é de evitar esse cenário, mas temos também a responsabilidade de sermos lúcidos e é por isso que vamos intensificar os nossos esforços para estarmos preparados para essa eventualidade."

Uma posição partilhada pelo negociador do Parlamento Europeu para o Brexit, Guy Verhofstad, que entende "a necessidade do Reino Unido de ter mais tempo, mas é impensável que o artigo 50 se prolongue para lá das eleições europeias."

Os independentistas britânicos garantem que se houver um segundo referendo no Reino Unido, o "Sim" à saída da União Europeia será ainda mais inequívoco.

O eurodeputado britânico eurocético, Nigel Farage diz que "os ingleses podem ser um povo muito plácido, muito relaxado, mas prometo-vos: se forem muito pressionados, serão como um leão a rugir. Seremos ainda mais desafiadores, se tivermos de lutar contra um segundo referendo e vamos vencê-lo com uma maioria ainda maior."

No final do debate, o vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans, lamentou a divisão política no Reino Unido e respondeu aos críticos do acordo do Brexit, citando a banda britânica Rolling Stones.

"Não se consegue sempre o que se quer, mas se tentar, às vezes pode conseguir o que precisa."