Última hora

Última hora

Sérvios reclamam liberdade e fim da violência

Sérvios reclamam liberdade e fim da violência
Direitos de autor
REUTERS/Kevin Coombs
Tamanho do texto Aa Aa

Um ano depois, Oliver Ivanovic é recordado. O político sérvio do Kosovo assassinado no início de 2018 foi objeto de homenagem de milhares de manifestantes que saíram à rua para assinalar a data e exigir liberdade de imprensa e o fim da violência política.

365 dias depois, o homícidio continua por resolver. Os sérvios partidários de Ivanovic acusam as autoridades de Pristina e Belgrado de encobrir o crime.

"Não sabemos o que aconteceu e não sabemos quem é o próximo. Portanto, tememos que qualquer um possa ser o próximo no Kosovo, em Belgrado, na Sérvia. Esta não é uma sociedade livre, não podemos mais viver com medo", afirmou Aleksandar Dikic, membro do Partido Democrático, uma força da oposição.

"Este é um momento crucial para a Sérvia, porque se não combatermos este mal, entranhado no nosso governo, a Sérvia vai acabar", diz outra manifestante

Ivanovic chegava ao escritório do partido, em Mitrovica, quando foi morto a tiro. Apesar do próprio passado violento, pregava a reconciliação entre a maioria dos albaneses no Kosovo e a minoria nacionalista sérvia.

Três sérvios foram presos na sequência do assassinato, mas nenhuma acusação foi formalizada.

Nas ruas de Belgrado, os manifestantes lembraram Ivanovic, mas querem sobretudo deixar a chama democrática acesa, contra o que consideram ser um "clima de medo" instalado pelo governo de Aleksandar Vucic.