A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Desembarque à vista para migrantes do Sea-Watch

Desembarque à vista para migrantes do Sea-Watch
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os 47 migrantes a bordo do navio Sea-Watch vão finalmente poder desembarcar.

O primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, garantiu o desembarque, pondo fim a um impasse que dura há quase duas semanas.

Vários países assumiram receber os migrantes - Portuga, França, Alemanha, Luxemburgo, Malta e Roménia. Em Itália poderão também ficar alguns.

Uma solução anunciada no dia em que o senado italiano debate a retirada da imunidade política ao ministro do Interior, Matteo Salvini, para responder num processo em que é acusado de "sequestrar migrantes" num barco de resgate.

A queixa remonta a agosto de 2018. Um tribunal especial determinou que o ministro deve ir a julgamento, mas isso só acontecerá se o senado autorizar. A câmara alta do parlamento italiano tem 30 dias para tomar a decisão.

Também a ONG Sea Watch denuncia um sequestro político dos migrantes que estão retidos há dez dias no barco na Sicília e anuncia uma queixa contra Salvini.