A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Programa europeu de garantia de empréstimos ajuda PME da Ucrânia

Programa europeu de garantia de empréstimos ajuda PME da Ucrânia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O acesso das Pequenas e Médias Empresas ao crédito é vital para que haja emprego e crescimento, sobretudo em países que vivem períodos de crise prolongada. Para realizar esse objetivo, o Banco Europeu de Investimento (BEI) implementou um programa que facilita a obtenção de um empréstimo graças a um sistema de garantias bancárias.

Business Planet viajou até à Ucrânia, um dos países que beneficia do programa do BEI.

"Apenas 6% das Pequenas e Médias Empresas da Ucrânia têm acesso a financiamento, é uma percentagem muito baixa. Graças ao programa do Banco Europeu de Investimento, essa percentagem pode triplicar, o que é vital para a economia ucraniana", explicou Ruslan Spivak, diretor comercial do Raiffeisen Bank Aval.

A Polissia-2002 é uma das empresas ucranianas que teve acesso ao crédito graças ao programa da União Europeia.

A empresa de exportação de madeira foi criada em 2004 e produz dois mil metros cúbicos de pinho por mês. Recentemente, obteve dois empréstimos de um valor total de um milhão de euros concedidos pelo Raiffeisen Bank Aval, graças à garantia de empréstimos do Banco Europeu de Investimento. O dinheiro foi gasto na aquisição de novos equipamentos.

"Com os empréstimos a nossa empresa teve a oportunidade de passar para um nível completamente diferente. Construímos um novo armazém e novas estufas de secagem e uma nova estrutura para o corte da madeira", contou Yaroslav Bayev, coproprietário da empresa.

As novas estufas de secagem foram fabricadas em Itália e permitem a secagem de 1500 metros cúbicos de madeira por mês. 90 por cento da produção é exportada, para a União Europeia, para a Ásia e o Médio Oriente.

"Hoje, há muita concorrência a nível mundial. A empresa teve de desenvolver-se rapidamente. Com esta ajuda foi possível melhorar o nosso nível", acrescentou o dirigente empresarial ucraniano.

Para participar no programa do BEI, as empresas devem dar provas de transparência e inovação. Há quatro bancos ucranianos envolvidos no projeto europeu (Raffeisen Bank, Oschadbank, Ukrgasbank e Procredit bank).

"Neste programa, financiamos pequenas e médias empresas que tenham um negócio transparente e que funcionem bem mas que não têm garantias. Queremos apoiar produtores locais que tenham uma estratégia inovadora e virada para a exportação", acrescentou o diretor comercial do Raiffeisen Bank Aval.

O programa de garantia de empréstimos é um dos elementos centrais do Acordo de livre-comércio completo e aprofundado (ALECA), uma iniciativa destinada a apoiar países que não fazem parte da UE, como a Geórgia, a Moldávia e a Ucrânia.