Última hora

Última hora

Três meses de "coletes amarelos"

Três meses de "coletes amarelos"
Tamanho do texto Aa Aa

Entre 1000 e 2000 "coletes amarelos" desfilaram este domingo entre o Arco do Triunfo e a Torre Eiffel, em Paris, marcando três meses exatamente desde o início do movimento de protesto contra o governo do presidente Emmanuel Macron.

As autoridades destacam a perda de força da contestação, mas , uma das organizadoras da manifestação na capital francesa, diz que "houve uma boa mobilização" e que está "contente com os três meses do movimento, para marcar o momento e dizer que chegou a Primavera e que conseguiram passar os três meses de Inverno, o que é bom para um movimento social".

Enquanto decorria a mobilização pacífica na capital, a procuradoria de Paris anunciava a abertura de um investigação aos insultos antissemitas pronunciados à margem dos protestos de sábado contra Alain Finkielkraut.

O filósofo e académico, que disse não pretender apresentar queixa, afirmou que "quem eles visavam eram os judeus como sionistas, devido à sua preocupação com Israel". Finkielkraut disse que foi disso que o "acusaram, em nome da Palestina", chamando-lhe "fascista, sionista e racista".

O ministro francês do Interior precisou no Twitter que as autoridades já identificaram um suspeito como o principal responsável pelos insultos.

Christophe Castaner criticou também severamente outro incidente registado este sábado, à margem da manifestação dos "coletes amarelos" na cidade de Lyon, quando uma viatura da polícia foi atacada por vários manifestantes.