A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Guaidó: "Há esperança na escuridão"

Guaidó: "Há esperança na escuridão"
Direitos de autor
REUTERS/Carlos Jasso
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Juan Guaidó diz que "há esperança na escuridão." Figura de destaque num inquérito por alegado envolvimento da oposição no corte recente de eletricidade, o autoproclamado presidente interino da Venezuela rejeitou as acusações e apelou a que se mantenha a luta.

"Que não sejamos prisioneiros da escuridão nos nossos corações. Essa será a chave nos próximos dias. Todos unidos, lado a lado", sublinhou Guaidó durante um discurso.

Enquanto na Venezuela se restabelece a normalidade elétrica, em Viena, Jorge Arreaza encontrou Serguei Lavrov. O ministro venezuelano dos Negócios Estrangeiros e o chefe da diplomacia russa discutiram a situação no país que conta também com o apoio da China e da Turquia.

O secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo anunciou, entretanto, que todos os diplomatas dos EUA deixaram a Venezuela na sequência do ultimato de Caracas. Pompeo sublinhou que continuarão a prestar serviços referentes à Venezuela a partir de outras paragens.