Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

"Breves de Bruxelas": Clima, China, ExxonMobil e Manneken Pis

"Breves de Bruxelas": Clima, China, ExxonMobil e Manneken Pis
Tamanho do texto Aa Aa

Um grupo de ambientalistas de várias organizações não-governamentais (Greenpeace Bélgica, Juventude para o Clima, Ação para a Justiça Climática, etc) acampou no centro de Bruxelas, desde domingo à tarde, para pressionar o Parlamento da Bélgica a adotar uma nova lei para lidar com as alterações climáticas.

Em causa está fazer uma emenda à Constituição, esta semana, para aprovar o diploma antes das eleições legislativas no país (em maio, juntamente com as europeias).

Este é o tema de abertura do programa "Breves de Bruxelas", que passa em revista a atualidade europeia diária. Em destaque estão, também, as seguintes notícias:

  • O comissário europeu para o Orçamento, Günther Oettinger, considera que a União Europeia deve vetar o acordo de investimento em infra-estruturas assinado entre Itália e a China. Numa entrevista, Günther Oettinger disse que Itália e outros Estados-membros interessados na chamada nova "rota da seda" chinesa põem em causa a autonomia e a soberania da União.

  • A ExxonMobil poderá perder o direito de lobbying no Parlamento Europeu, se for aprovada a moção apresentada pelo grupo dos Verdes, que deverá ser votada até ao final de abril. A empresa petrolífera não compareceu à primeira audiência no Parlamento Europeu para avaliar se leva a cabo uma campanha de desinformação para negar as alterações climáticas.

  • Cerca de 2500 litros de água potável por dia é quanto utiliza a fonte com o Manneken Pis ("menino que faz xixi"), pequeno monumento que simboliza o espírito do povo de Bruxelas e que é visitado por milhões de turistas. Mas esse desperdício vai acabar em breve, já que as autoridades da capital belga vão usar água reciclada para tornar mais ecológica a atração.