A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Europeus pedem mais "reciprocidade" à China

Europeus pedem mais "reciprocidade" à China
Direitos de autor
REUTERS/Philippe Wojazer
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A França, a Alemanha e a Comissão Europeia pediram à China uma parceria mais equilibrada, com base na "confiança" e uma maior "reciprocidade" nas relações comerciais.

O presidente francês recebeu no Palácio do Eliseu o homólogo chinês, Xi Jinping, numa minicimeira inédita ao lado da chanceler alemã, Angela Merkel e do presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker.

Emmanuel Macron afirmou que existem "divergências" e que "o exercício do poder na história da humanidade não acontece sem rivalidades. Ninguém é ingénuo, mas há um respeito pela China e um compromisso com o diálogo e cooperação e [...] os parceiros também respeitam a unidade da União Europeia e os seus valores".

O chefe de Estado francês tinha convocado o encontro com o objetivo de apresentar uma frente europeia unida face à China.

Sem mencionar diretamente a guerra comercial com os Estados Unidos sob Donald Trump, Xi Jinping frisou que "a cooperação é mais importante do que a concorrência".

Juncker exprimiu, por seu lado, o desejo de que seja desenvolvida "uma maior reciprocidade entre a China e a União Europeia do que a que existe atualmente, porque é preciso que as empresas europeias se deparem com o mesmo grau de abertura, no que diz respeito ao acesso ao mercado chinês, com que se deparam as empresas chinesas na Europa".

O presidente da Comissão Europeia irá conduzir, a 9 de abril em Bruxelas, a próxima cimeira UE-China.

No exterior do Eliseu, diferentes grupos contestavam a visita de Xi Jinping, nomeadamente em defesa da minoria uigur e da soberania do Tibete.