Alessandra Mussolini foi insultada e agredida em Estrasburgo

Alessandra Mussolini em 2013
Alessandra Mussolini em 2013 Direitos de autor Andrew Medichini/AP
De  Michela Morsa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em italiano

A eurodeputada denunciou o ataque publicando um vídeo nas suas redes sociais imediatamente após o incidente: "Estou chocada, há demasiada violência". A política não ficou gravemente ferida e decidiu não apresentar queixa, mas está convencida de que "o ataque tem motivações políticas".

PUBLICIDADE

"Estou em Estrasburgo e fui atacada, estou devastada". Num vídeo publicado nas suas redes sociais, a vice-líder da delegação do Forza Italia no Parlamento Europeu, Alessandra Mussolini, denunciou ter sido atacada na cidade alsaciana que acolhe uma das sedes da instituição europeia.

A eurodeputada, que se deslocou a Estrasburgo para a sessão plenária da Câmara do Euro, disse que na segunda-feira à noite foi atacada por um desconhecido que falava italiano, quando caminhava pelo centro da cidade a caminho de um restaurante para jantar.

"Fui atacada por um homem que falava italiano. Uma série de insultos loucos, depois ele tinha uma espécie de muleta e atirou-a às minhas costas e aos ombros... agora estou a ir... ou seja, há demasiada violência....", explica Mussolini no curto vídeo, que parece ter sido filmado imediatamente após o incidente. Alessandra diz-se "devastada pelo que aconteceu".

De manhã, contou o ataque por telefone ao Adnkronos, enriquecendo a história com pormenores: "Tinha acabado de terminar a sessão do Parlamento Europeu, estava a descer a rua acompanhada pelo meu assistente, usava um capuz porque estava frio. A certa altura, um tipo na casa dos quarenta surgiu do nada: era italiano, eu sei porque começou a insultar-me violentamente, dizendo 'Mussolini, pedaço de m...., fascista', e outras coisas do género", conta a eurodeputada, neta do ditador Benito Mussolini.

O ataque a Alessandra Mussolini em Estrasburgo

O homem "aproximou-se de mim, estava armado com um pau, uma espécie de muleta, e começou a bater-me, na orelha, na cabeça, nas costas, nos ombros. Não o conseguiram parar porque ele estava furioso", continua a eurodeputada, que diz que não ficou gravemente ferida mas está em estado de choque. "Estou destroçada, incrédula. Não se está à espera disto, por isso, no centro, em Estrasburgo, é absurdo."

O episódio, segundo Mussolini, tem motivações políticas: "Ele reconheceu-me e passou-se, batendo-me com força por trás, dizendo todo o tipo de palavrões sobre o nome 'Mussolini' e ameaçando matar-me". A eurodeputada do Forza Italia explica que não é a primeira vez que é insultada, mas que nunca lhe tinha acontecido ser atacada fisicamente.

"Há um clima de violência que me preocupa muito", julga Mussolini, que, no entanto, decidiu não apresentar queixa. E contra quem? Agora vou para um hotel e acabo com isto aqui. Mas estou desanimada, estou muito amargurada", diz. "Da pancada que ele me deu, só sofri alguns ferimentos na orelha, que me dói, e na cabeça, mas graças a Deus só me raspou nos ombros e no braço".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Familiares das vítimas do naufrágio na costa de Itália vão processar o governo

O país mais velho da Europa: o que está por detrás do problema do envelhecimento em Itália?

França: governo cede aos agricultores e adia plano para eliminar uso de pesticidas