Última hora

Última hora

Incerteza permanece em Westminster

Incerteza permanece em Westminster
Direitos de autor
Reuters TV via REUTERS
Tamanho do texto Aa Aa

O fim do caos Brexit parece estar à vista. Oito votos indicativos (de inicialmente 16) foram expressos na noite de quarta-feira. Ficou claro que, esta sexta-feira, o Governo de Theresa May apresentará apenas os "papéis de divórcio" (acordo de retirada) a voto na Câmara dos Comuns, sem um quadro inteiro de relações futuras.

O presidente do Parlamento britânico, John Berkow, quer que a moção seja "nova e substancialmente diferente", ao contrário das duas anteriores. Berkow "realçou" a votação de sexta-feira.

"É crucial que façamos todos os esforços para dar efeito a isto (aprovar o acordo de retirada esta semana) e permitir que a Câmara debata esta questão importante. Não queremos estar na situação de pedir outra extensão e, claro, ter de realizar eleições para o Parlamento Europeu," declarou a líder conservadora da Câmara dos Comuns, Andrea Leadsom.

Previsivelmente, a série de "Nãos" da noite de quarta-feira não impressionou Bruxelas, que desde há muito tempo enfrenta o Parlamento britânico por ser "contra" tudo, mas não está claro sobre o que está a "favor".

"Nós contámos oito 'nãos' ontem à noite (no Parlamento Britânico). Agora precisamos de um 'sim' sobre o caminho a seguir," afirmou porta-voz da Comissão Europeia, Margaritis Schinas .

A lista de pessoas e setores da sociedade enfurecidos pela indecisão do Brexit cresce a cada dia. Os negócios britânicos também mostram a sua exasperação.

1.10 DIRETOR-GERAL DAS CÂMARAS BRITÂNICAS DO COMÉRCIO, ADAM MARSHALL:

"Para Westminster, dizemos: Estamos frustrados, estamos com raiva. Desapontaram os negócios britânicos. Nós, nos negócios, devemos deixar claro que os representantes que elegemos não podem continuar a perseguir o arco-íris. Tal como nós nos negócios, eles precisam começar a tomar decisões difíceis, por mais difíceis que possam ser a nível pessoal ou político," declarou o diretor-geral das Câmaras de Comércio Britânicas, Adam Marshall.

Será que, finalmente, o sacrifício de Theresa May de renunciar se o acordo for aprovado será suficiente para concluir a etapa. A resposta será conhecida esta sexta-feira ... ou talvez não.