Última hora

Última hora

UE revela diretrizes para a Inteligência Artificial

UE revela diretrizes para a Inteligência Artificial
Tamanho do texto Aa Aa

A Comissão Europeia divulgou hoje um conjunto de medidas para manter a ética na inteligência artificial. Os sete requisitos principais incluem a manutenção da supervisão humana da tecnologia, tornar os procedimentos rastreáveis e implementar mecanismos que consigam responsabilizar os sistemas.

As organizações interessadas podem inscrever-se para participar numa fase piloto em junho, que será depois avaliada pelos especialistas da Comissão Europeia.

Os sete requisitos essenciais são para uma Inteligência Artificial confiável são:

1) Intervenção e supervisão humana: Os sistemas de Inteligência Artificial devem possibilitar sociedades equitativas, apoiando os seres humanos e os direitos fundamentais, e não diminuindo, limitando ou desorientando a autonomia humana.

2) Robustez e segurança: A Inteligência Artificial confiável requer que os algoritmos sejam seguros, confiáveis ​​e robustos o suficiente para lidar com erros ou inconsistências durante todas as fases do ciclo de vida dos sistemas de Inteligência Artificial.

3) Privacidade e gestão de dados: Os cidadãos devem ter controlo total sobre os seus dados e os dados relativos a eles não serão utilizados ​​para prejudicar ou discriminá-los.

4) Transparência: A rastreabilidade dos sistemas de Inteligência Artificial deve ser assegurada.

5) Diversidade, não-discriminação e justiça: Os sistemas de Inteligência Artificial devem considerar toda a gama de aptidões, capacidades e requisitos humanos e garantir a acessibilidade.

6) Bem-estar social e ambiental: Os sistemas de Inteligência Artificial devem ser utilizados ​​para melhorar a mudança social positiva e aumentar a sustentabilidade e a responsabilidade ecológica.

7) Responsabilização: Devem ser colocados em prática mecanismos para garantir a responsabilidade e responsabilização pelos sistemas de Inteligência Artificial e pelas suas consequências.