A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Mais 2100 estrangeiros expulsos e outros tantos cidadãos detidos

Ponte sobre o Rio Kwanza, na estrada entre Luanda e o Lobito, em 2008
Ponte sobre o Rio Kwanza, na estrada entre Luanda e o Lobito, em 2008 -
Direitos de autor
jlrsousa/ Arquivo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades angolanas expulsaram, na última semana, 2.113 cidadãos estrangeiros por "decisão judicial e administrativa" e detiveram 2.136 cidadãos por "permanência e auxílio à imigração ilegal", anunciou o Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) angolano.

Segundo o SME, no período de 10 a 17 de abril, foram igualmente notificados e "convidados a abandonar" Angola dez cidadãos estrangeiros por "permanência ilegal" e impedidos de entrar no país 18 cidadãos que foram "já reembarcados".

Foram impedidos de sair de Angola 18 cidadãos nacionais, a maioria por falta de meios de subsistência.

Em relação ao movimento migratório, o SME registou a entrada de 27.129 pessoas, das quais 12.531 eram cidadãos angolanos e os restantes estrangeiros, e a saída de 28.958 pessoas, das quais 14.230 eram cidadãos angolanos.

O ministro do Interior de Angola, Ângelo da Veiga Tavares, anunciou, na última semana, que pelo menos 70.000 cidadãos estrangeiros foram expulsos de Angola em 2018 e no primeiro trimestre de 2019, e que cerca de 700.000 "saíram voluntariamente por força de ações preventivas".