Última hora

Última hora

Sri Lanka admite “uma grande falha nos serviços de informação”

Sri Lanka admite “uma grande falha nos serviços de informação”
Tamanho do texto Aa Aa

Esta quarta-feira, durante uma conferência de imprensa, o secretário de estado da Defesa do Sri Lanka reagiu às notícias que falam de um alerta lançado dias antes dos ataques do Domingo de Páscoa e que terá sido ignorado.

Ruwan Wijewardene confirmou mudanças nas hierarquias do ministério.

"É um grande lapso na partilha de informações, especialmente nos serviços secretos. Sobre uma grande mudança na estrutura hierárquica do departamento de segurança, ontem o presidente fez uma declaração e garantiu que haverá mudanças na hierarquia, sejam militares ou no ministério, ainda não há certezas. Tenho certeza que nos próximos dias vamos ficar a saber”.

As autoridades de Colombo já identificaram oito dos nove bombistas suicidas, entre eles uma mulher. Eram cidadãos do Sri Lanka, tinham formação superior, eram independentes financeiramente e pertenciam a famílias de classe média ou média alta. Um deles estudou no Reino Unido e fez uma pós-graduação na Austrália.

Os ataques estavam a ser planeados há mais de sete anos. O Estado Islâmico reivindicou a autoria dos atentados e divulgou uma fotografia do homem que está a ser identificado como o líder dos ataques.

Para já, não foi confirmado o envolvimento do grupo terrorista.