Última hora

Última hora

Guaidó em assalto final ao poder, regime de Maduro admite travar insurreição pela força

Guaidó em assalto final ao poder, regime de Maduro admite travar insurreição pela força
Tamanho do texto Aa Aa

Há muito que o rastilho estava aceso, esta terça-feira rebentou finalmente o barril de pólvora nas ruas da Venezuela. O dia começou com Juan Guaidó a dar início à "Operação Liberdade", a derradeira fase do plano para derrubar o regime de Nicolás Maduro.

Ambas as partes apelaram então à mobilização popular, os venezuelanos, de ambas as partes, responderam ao apelo e as cenas de violência sucederam-se inevitavelmente.

De Caracas surgem relatos de vários feridos, alguns deles atropelados por um veículo das Forças Armadas Bolivarianas, fiéis a Nicolas Maduro.

O anúncio de Guaidó foi feito junto à base militar de La Carlota, rodeado de aproximadamente 40 militares, no entanto as forças fiéis a Maduro não lhe permitiram entrar no quartel. O líder da Assembleia Nacional dirigiu-se então à Plaza Altamira, um bastião da oposição, onde foi recebido pelos seus apoiantes.

Já Nicolás Maduro garantiu no Twitter ter o apoio das principais figuras das Forças Armadas mas isso não significa que a vitória esteja assegurada. O cerco aperta e o ministro da Defesa, Vladimir Padrino, já veio admitir o uso de armas para travar a insurreição.