Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Acidente de avião em Moscovo: 41 mortos e três feridos em estado grave

Avião do voo SU1492 em chamas após aterragem de emergência em Sheremetyevo
Avião do voo SU1492 em chamas após aterragem de emergência em Sheremetyevo -
Direitos de autor
REUTERS/Nadezhda Polomoshnov
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos 41 pessoas morreram, incluindo duas crianças e um cidadão norte-americano, na sequência da aterragem de emergência de um avião comercial, este domingo ao final da tarde, em Moscovo, no aeroporto internacional de Sheremetyevo, o maior da Rússia.

O aparelho, um Sukhoi Superjet-100 operado pela Aeroflot para cumprir o voo SU-1492 entre Moscovo e Murmansk, transportava 73 passageiros e cinco tripulantes.

Além das vítimas mortais já confirmadas, pelo menos cinco pessoas tiveram de receber assistência no hospital, adianta a agência de notícias russa, TASS. Outra agência local, a Ria Novosti, adianta que pelo menos três dos feridos ficaram em estado grave.

O avião estabelecia a ligação entre Moscovo e Murmansk, num voo previsto para duas horas. Tinha a partida prevista para as 17:50 (15:50, em Lisboa), descolou com apenas sete minutos de atraso.

Um problema ainda por esclarecer viria a interromper o voo SU-1492. A rota efetuada pelo avião mostra-nos um voo circular sobre o aeroporto e uma primeira tentativa de aterragem que terá falhado devido às condições climatéricas adversas, adianta a TASS.

À segunda, o Sukhoi Superjet-100 conseguiu pousar, mas o trem de aterragem partiu-se e incendiou os motores.

Vídeos registados alegadamente no interior do avião, difundidos pelo jornal digital russo Life, mostram as chamas no exterior e deixam perceber os momentos de tensão e medo vividos no interior do aparelho.

O incidente levou ao fecho temporário do tráfego aéreo no aeroporto de Sheremetyevo, obrigando a desviar alguns voos e a atrasar a aterragem de outros.

Foi o caso do voo oriundo da China onde seguia Stanislav. "Eles queriam aterrar em Domodedovo, outro aeroporto de Moscovo, devido ao mau tempo, disse-nos o capitão. Mas após quinze minutos, ele disse que seria por fim em Sheremetyevo. Aterrámos e só depois nos apercebemos da tragédia", revelou este passageiro de um outro voo.

Uma investigação ao incidente foi aberta pelas autoridades russas, sob liderança de

Evgeny Dietrich, o ministro dos Transportes da Federação Russa, adiantou a porta-voz do departamento moscovita da Comissão de Investigação Russa.

Yelena Markovskay precisou ainda que os 37 sobreviventes doa tragédia incluem 33 passageiros e quatro tripulantes.

Pelo menos uma das pessoas assistidas no hospital terá sofrido um enfarte, desconhecendo-se se é a mesma que tem de estar ligada a um ventilador na clínica Sklifosovsky.

Existem rumores da existência entre as vítimas mortais de um cidadão norte-americano, identificado como Jeremy Brooks. A informação é avançada pela agência TASS, citando uma fonte dos serviços de emergência russos. As autoridades de Washington ainda não comentaram esse rumor.

A lista de vítimas estava ainda a ser verificada quando foi anunciada a decisão de indemnizar as famílias das vítimas mortais com um milhão de rublos (quase de 14 mil euros) e com 500 mil rublos (quase sete mil euros) os feridos.

"Vamos apoiar as famílias de todas as vítimas. O documento será assinado amanhã", precisou o recém nomeado governador interino da região de Murmansk. Andrey Chibis acrescentou ainda a decisão de decretar três dias de luto em Murmansk.

O aeroporto de Sheremetyevo já retomou, entretanto, os voos com destino a Murmansk.