EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Na rua pelo clima e pela justiça social

Na rua pelo clima e pela justiça social
Direitos de autor REUTERS/Simon Dawson
Direitos de autor REUTERS/Simon Dawson
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Milhares de pessoas desfilaram em Bruxelas para exigir medidas concretas e urgentes em defesa do planeta e pela justiça social. Uma marcha com eco em vários pontos da Europa

PUBLICIDADE

Milhares de pessoas sairam à rua em Bruxelas para exigir medidas concretas no combate às alterações climáticas e pela justiça social, a duas semanas das eleições gerais na Bélgica, que coincidem com as eleições europeias.

Brieuc Wathelet, porta-voz da Campanha Tam Tam - que regrupa os coletivos e associações organizadores da marcha - explica que "em termos do clima, [querem] um investimento de 4 mil milhões de euros em comboios e metros, em termos sociais, salários e pensões iguais para homens e mulheres e, para a saúde, uma melhor regulação dos preços dos medicamentos".

Segundo as autoridades, a marcha em Bruxelas reuniu 17.000 pessoas. Durante o protesto, um "funeral" encenado destacava a urgência para o planeta.

Uma manifestante explica que "é o planeta, o clima e todas as criaturas vivas, que são hoje enterradas. É preciso chocar as pessoas".

Uma manifestação com eco em Londres, onde mães e crianças aproveitaram a celebração do Dia da Mãe no Reino Unido para desfilar em defesa do Clima.

Uma manifestante diz que "é uma prioridade. Os políticos precisam de perceber a importância e precisamos de agir agora".

Holanda, Espanha ou República Checa foram outros dos países onde foram organizados desfiles semelhantes.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polícia de Hong Kong realiza diversas operações no aniversário de Tiananmen

Protestos pelos reféns em Telavive degeneram em confrontos com a polícia

Turistas retidos na Nova Caledónia começam a ser evacuados. Independentistas apelam aos protestos