A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Embaixada venezuelana em Washington permanece ocupada

Embaixada venezuelana em Washington permanece ocupada
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Quatro ativistas favoráveis ao regime de Nicolás Maduro, permanecem dentro da embaixada da Venezuela em Washington.

Os membros do pequeno grupo resistem e dizem estar dispostos a serem detidos pelas autoridades norte-americanas, em resposta a uma ordem de evacuação que classificaram de "ilegal".

A intermediação dos advogados dos ativistas impediu, na noite passada, que fossem detidos e retirados do edifício diplomático, onde permanecem há semanas.

A entrada dos agentes na embaixada ocorreu após o pedido dos representantes do líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, em Washington.

"Os agentes dos Serviços Secretos e da Polícia Metropolitana deram-lhes mandados e alguns deles saíram do prédio, outros ficaram lá. Os que ficaram estão a cometer um desacato e vão ser expulsos", informa o embaixador de Juan Guaidó para a Organização dos Estados Americanos, Gustavo Tarre.

No Twitter, o Governo de Nicolás Maduro acusou o Governo de Donald Trump de "violar o direito internacional".

Nas ruas de Washington, vários venezuelanos exigiram a saída dos ativistas.

Os ativistas ocuparam a embaixada da Venezuela em Washington, em abril, com o objetivo de impedir a entrada dos diplomatas nomeados pelo autoproclamado presidente interino Juan Guaidó.

Os Estados Unidos da América não reconhecem a autoridade do regime de Nicolás Maduro nem dos seus representantes.

A embaixada venezuelana em Washington está encerrada desde o início do ano.