This content is not available in your region

Embaixada venezuelana em Washington permanece ocupada

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Embaixada venezuelana em Washington permanece ocupada

Quatro ativistas favoráveis ao regime de Nicolás Maduro, permanecem dentro da embaixada da Venezuela em Washington.

Os membros do pequeno grupo resistem e dizem estar dispostos a serem detidos pelas autoridades norte-americanas, em resposta a uma ordem de evacuação que classificaram de "ilegal".

A intermediação dos advogados dos ativistas impediu, na noite passada, que fossem detidos e retirados do edifício diplomático, onde permanecem há semanas.

A entrada dos agentes na embaixada ocorreu após o pedido dos representantes do líder da oposição venezuelana, Juan Guaidó, em Washington.

"Os agentes dos Serviços Secretos e da Polícia Metropolitana deram-lhes mandados e alguns deles saíram do prédio, outros ficaram lá. Os que ficaram estão a cometer um desacato e vão ser expulsos", informa o embaixador de Juan Guaidó para a Organização dos Estados Americanos, Gustavo Tarre.

No Twitter, o Governo de Nicolás Maduro acusou o Governo de Donald Trump de "violar o direito internacional".

Nas ruas de Washington, vários venezuelanos exigiram a saída dos ativistas.

Os ativistas ocuparam a embaixada da Venezuela em Washington, em abril, com o objetivo de impedir a entrada dos diplomatas nomeados pelo autoproclamado presidente interino Juan Guaidó.

Os Estados Unidos da América não reconhecem a autoridade do regime de Nicolás Maduro nem dos seus representantes.

A embaixada venezuelana em Washington está encerrada desde o início do ano.