Última hora

Última hora

UE contra "invasão" de bicicletas chinesas

UE contra "invasão" de bicicletas chinesas
Tamanho do texto Aa Aa

As JUMP são as novas bicicletas Uber de Bruxelas. Há 500 espalhadas pela cidade, para grande satisfação do ministro da Mobilidade, que quer ver menos carros. Mas a indústria europeia de bicicletas está preocupada: receia que estas bicicletas eletrónicas, fabricadas em massa na China, acabem simplesmente por destruir as cidades europeias.

"Neste momento, estamos a braços e a lutar contra as importações ilegais subsidiadas devido à enorme capacidade de produção de bicicletas na China, que ascendem a quase cinco vezes mais do que a procura da UE. Isto deve-se aos subsídios maciços e ilegais que o Governo chinês tem vindo a conceder aos fabricantes chineses de bicicletas. Neste momento, acreditamos que a indústria de bicicletas da UE é importante e queremos que sobreviva", defende Evangelia Anevlavi, da Associação Europeia de Fabricantes de Bicicletas.

Para a ajudar a sobreviver, em Janeiro, a Comissão Europeia impôs uma série de direitos sobre as bicicletas electrónicas chinesas importadas, que parecem estar funcionar. O mercado das bicicletas eletrónicas, e estas novas medidas, salvaram a Scott Sportech Benelux, uma empresa familiar de bicicletas, nos arredores de Bruxelas. O diretor-geral, Johan Huygens, afirma: "As normas de qualidade são bastante mais elevadas na Europa. Por exemplo, se tivermos um problema com a bicicleta e quisermos perseguir judicialmente os chineses, eles não comparecem perante a justiça, enquanto um fabricante europeu é responsável por aquilo que fabrica. Considero positivo que protejamos o nosso mercado, a nossa segurança social e os nossos trabalhadores contra a concorrência desleal".

O observador da UE e advogado comercial, Laurent Ruessmann, concorda: "Sem estas medidas, a indústria não teria sobrevivido, a indústria teria sido dizimada como nos EUA e no Japão, que não fizeram nada para enfrentar o comércio desleal vindo da China".

Os direitos anti-dumping são os mais recentes de uma série de medidas da UE contra as exportações chinesas, que suscitaram fortes reações de Pequim.