Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Huawei pede que Europa reaja a ataque dos EUA

Huawei pede que Europa reaja a ataque dos EUA
Direitos de autor
REUTERS/Dado Ruvic/Illustration/
Tamanho do texto Aa Aa

A empresa chinesa Huawei apelou, esta terça-feira, às instituições da União Europeia para que não cruzem os braços perante os ataques da administração dos Estados Unidos da América.

O principal representante do gigante das telecomunicações na Europa, Abraham Liu, afirmou que a Huawei é uma vítima e alertou que a inclusão da empresa na lista negra de Donald Trump é um ataque "à ordem liberal baseada em regras".

Em Bruxelas, Liu afirmou que a Huawei garantiu maneiras de fornecer apoio aos clientes apesar da "situação extrema".

O vice-presidente afirmou que a pressão dos Estados Unidos sobre os governos e clientes da Europa não tem precedentes, no entanto, Liu assegurou estar convicto de que "os acionistas e os clientes na Europa vão tomar as suas decisões de forma independente pois têm o seu próprio juízo de valor."

Esta terça-feira, a administração de Donald Trump suspendeu por 90 dias as sanções à Huawei que impediam a empresa chinesa de usar componentes e programas informáticos norte-americanos.